quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

LIÇÕES ESPIRITUAIS DO PÓS-JORDÃO. Subsídsio para Lição Bíblica.

1. O MEMORIAL

Conforme Champlin (2001, p. 216), existem alguns termos relacionados com "memorial":

- azakarah: Vocábulo hebraico associado com os sacrifícios, esse termo trazia à memória a essência do culto religioso, para proveito do homem (Nm 5.26). A raiz da palavra significa "ferroar", "espinhar". Algo que penetrasse na mente estimulando a memória.

- zekher e zikkeron: Termos hebraicos que que referiam-se aos memoriais do santo nome de Deus (Sl 30.4), pedras que que serviam para comemorar algum evento (Js 4.7), registro de fatos (Êx 17.14), livro de memória (Ml 3.16).

- moemosunun: Palavra grega que aparece por três vezes no NT (Mt 26.13; Mc 14.9; At 10.4), sempre referindo-se a eventos que deveriam ficar na memória dos atores históricos e dos futuros leitores ou ouvintes dos fatos.


2. DEFINIÇÃO E PROPÓSITOS DO MEMORIAL

Um memorial se refere a qualquer recurso que possibilidade a lembrança de coisas, pessoas, fatos, acontecimentos, etc. Festas, monumentos, cerimônias, registros literários, são, dentre muitos, meios de se ativar a memória.

Segundo o Dicionário Bíblico Wycliffe (2006, p. 1249), em se tratando do povo de Deus, no "memorial " estão envolvidos a lembrança de sua antiga servidão, os atos salvadores de Deus e sua aliança.

"Os memoriais serviam para destacar aquilo que era importante do que era comum; para inspirar os homens a atos de justiça; para preservar a memória daquelas coisas que Deus aprova, para que os homens aprendam das mesmas.

O ensino bíblico, aliado ao exemplo dos mais antigos, são instrumentos poderosos para a preservação da memória dos grandes feitos do Senhor e dos seus ensinos. O comentaristas da Lição Bíblica afirma que "Devemos erigir nossos 'monumentos espirituais.' Se não ensinarmos hoja a Palavra de Deus aos nossos jovens, amanhã assistiremos à degeneração da sociedade". Vou mais além. Já estamos vendo tal degeneração, mas não é somente na sociedade, contemplamos tal degeneração dentro da própria "instituição igreja".

O culto, foi no A.T. e N.T., como ainda é na atualidade, um momento repleto de significados, símbolos, liturgia, elementos litúrgicos, que possuem também o propósito de trazer à lembrança as grandes realizações do Senhor. Em que tipo de memorial espiritual, boa parte dos nossos cultos se transformaram?

- Memorial da formalidade
- Memorial da desordem
- Memorial da sensualidade
- Memorial da irreverência
- Memorial da politicagem
- Memorial da apresentação de artistas e animadores de palco

As gerações futuras estão recebendo que tipo de herança espiritual? Penso que alguns dos nossos memoriais espirituais estão rachados, depredados, arruinados, precisando de uma urgente restauração.

E o que falar de muitos dos nossos suntuosos templos, que em lugar de glorificarem a Deus, são na realidade monumentos e memoriais do orgulho, da soberba, da arrogância e da vaidade de quem os construíram, pura mentalidade babeliana, absalaniana, nabucodonossoriana, herodiana e constantiniana?

"Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até os céus e tornemos célebres o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra." (Gn 11.4)

"Ora, Absalão, quando ainda vivia, levantara para si uma coluna, que está no vale do Rei, poque dizia: Filho nenhum tenho para conservar a memória do meu nome; e deu o seu próprio nome à coluna; pelo que até hoje se chama o Monumento de Absalão." (2 Sm 18.18)

"falou o rei e disse: Não é esta a grande babilônia que eu edifiquei para a casa real, com o meu grande poder e para a glória da minha majestade?" (Dn 4.30)

Muitos deste monumentos chamados templos, são na realidade grandes sepulcros caiados, pirâmides modernas, construções faraônicas cristãs, "que, por fora se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia!" (Mt 23.27)

O que você está contruindo, para quê e para quem constrói? Quais as intenções e sentimentos envolvidos? Deus sabe de todas as coisas e penetra o mais profundo da alma humana!

Precisamos urgente de memoriais que glorifiquem e exaltem o nome do Senhor, eregidos sob a sua direção (Js 4.1-7;20-24) e direcionados para o seu louvor. Onde estão os construtores dispostos a erguê-los?

7 comentários:

Anônimo disse...

feutereO livro de Josué foi o tema de um dos trimestres de 92, comentada por outro Pastor c/ uma abordagem mais sistemática que a atual. Desconfio que tratar deste contexto,dando ênfase à configuração assembléiana de "liderança",na iminência das eleições convêncionais,é proposital, servindo mais a interesses humanos que divinos.Só Deus sabe os absurdos que tenho ouvido em função deste tema nas reuniões de professores da EBD. Sou leitora deste blog e me identifico com o parecer bibliocêntrico do autor, encontro aqui a expressão de uma voz e não de um eco.
A figura de Josué destaca a importância da CONTINUIDADE da obra de Deus, considerável lição p/ os que não se ocupam de outra coisa senão impor barreiras p/ estacioná-la. Destaca também A IMPORTÂNCIA DO Nº 2, desconhecida nas nossas igrejas que tem o "vice", a "2ª dirigente", "2ªregente", "2ºcoordernador", o "segundo" qualquer coisa como objeto de decoração. São obsoletos, quando deveriam ser objeto de "PREPARAÇÃO" p/ que no seu tempo estejam aptos a receber o "bastão".
Penso que Josué nos permiti comparar a obra de Deus com uma " corrida de revezamento",o lider é temporário e o propósito é eterno...mas tem gente escorando em muletas e não adimiti entregar o bastão, não acredita na capacidade da nova geração, preferem uma igreja capenga...inutilizam os "Josués" ...e se fazem os líderes certos no tempo errado.
No afã de ser sincera, e não presunçosa, deixo aqui o meu comentário louvando a Deus pela qualidade deste blog.

Pastor Besaleel Assunção disse...

Pr. Altair, a paz do Senhor!
De fato tem muita gente fazendo culto não como um memorial a Deus mas a sí próprios. Deus nos ajude!
Dá uma olhada no meu blog.
Pr. Besaleel

Congregação Stenio Gomes disse...

Gostei, foi muito útil para mim...
Deus te abençoe mais ainda irmão!

Felipe Huvos Ribas disse...

Pastor Altair Germano, gostaria de fazer uma pergunta ao senhor que surgiu enquanto lia este excelente post. Foi errada a atitude de Absalão de levantar um monumento para seu nome ser lembrado, visto que, segundo o versículo, filho nenhum ele tinha para conservar a memória do nome dele? Digamos que uma pessoa justa e temente a Deus daquela época fizesse algo do tipo. Seria lícito, se a finalidade fosse lembrar das atitudes dessa pessoa e incentivar os jovens a serem justos e tementes a Deus? A finalidade do monumento era apenas lembrar o nome de Absalão ou era para fins de idolatria ao monumento? Muito obrigado desde já e Deus te abençoe.

ALTAIR GERMANO, disse...

Amado Filipe,

"Ora, Absalão, quando ainda vivia, levantara para si uma coluna, que está no vale do Rei, porque dizia: Filho nenhum tenho para conservar a memória do meu nome; e deu o seu próprio nome à coluna; pelo que até hoje se chama o Monumento de Absalão." (2 Sm 18.18)

O contexto da vida de Absalão nos revela o quão distante da vontade de Deus viveu. Sua rebelião contra o seu pai Davi é a prova mais cabal.

Entendo o gesto de Absalão em erguer uma coluna para memória do próprio nome, como um ato desesperado e solitário, de alguém que não conseguiu conquistar o respeito nem a consideração do seu povo.

O padrão da época era o de construir memoriais para os feitos de Deus, para a honra e memória do nome Dele.

Abraços!

Felipe Huvos Ribas disse...

Entendi, obrigado por disponibilizar-se a responder minhas dúvidas.Dei uma pesquisada e encontrei este site: http://www.freewebs.com/ichthysusa/estudobblico.htm
Talvez o senhor considere interessante. Deus te abençoe.

MARIVAN disse...

OLÁ, A PAZ DO SENHOR GOSTARIA QUE SE POSSIVEL DIVULGASSE A RÁDIO PENTECOSTAL NO SEU BLOG, FAÇA UMA VISITA E CONFIRA.
www.radiopentecostal.blogger.com.br