domingo, 7 de dezembro de 2008

A COMPLETUDE DA BÍBLIA: Subsídio para Lição Bíblica.

A Verdade prática da Lição 11, publicada pela CPAD, afirma o seguinte:

"É pecado gravíssimo adicionar, subtrair, substituir ou modificar qualquer parte da Palavra de Deus."

Em linha com essa afirmação, encontra-se o segundo ponto da lição, intitulado "Deturpação da Completude da Bíblia", que nos fala acerca das deturpações por adição, subtração, modificação e substituição.

É importante salientar que, quando o comentarista nos chama a atenção para as deturpações, ele está se referindo às deturpações "intencionais", ou seja, aquelas realizadas com o propósito de adaptar a mensagem da Bíblia aos interesses pessoais ou institucionais.

Afirmo isto, uma vez que as nossas versões da Bíblia Almeida Revista e Corrigida (ARC) e Almeida Revista e Atualizada (ARA), assim como outras versões em língua portuguesa, em decorrência das dificuldades promovidas pelas variações textuais (cerca de 250.000) das cópias dos manuscritos do Novo Testamento (cerca de 5.000 completos ou fragmentários, quase 13.000 mss. das versões e nos milhares de citações feitas pelos antigos Pais da Igreja), trazem algumas adições, subtrações, modificações e substituições não intencionais. Observemos alguns exemplos:

- Mt 21.29

ARA - "Ele respondeu: Sim, senhor; porém não foi."

ARC - "Ele, porém, respondendo, disse: Não quero. Mas, depois, arrependendo-se, foi.

- Lc 1.28

ARA - "E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo."

ARC - " E, entrando o anjo onde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres."

- Lc 14.5

ARA - "A seguir, lhes perguntou: Qual de vós, se o filho ou o boi cair num poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado?"

ARC - "E disse-lhes: Qual será de vós o que, caindo-lhe num poço, em dia de sábado, o jumento ou o boi, o não tire logo?"

- Rm 8.1

ARA - "Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus."

ARC - "Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito."

- Ap 1.5

ARA - "e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados,"

ARC - "e da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos ama, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados"

Essas variações textuais não intencionais, em nada comprometem ou contradizem a verdade doutrinária da Palavra de Deus.

O terceiro ponto da Lição Bíblica trata das "Agressões à Ortodoxia Bíblica". Quero chamar a atenção para o terceiro sub-ponto, que fala sobre as "Novas Teologias".

A "Teologia da Prosperidade" é citada pelo comentarista. Aproveitando o fato, quero mais uma vez fazer um séria e indignada denúncia.

Nossas lições bíblicas são publicadas pela CPAD "uma editora que representa a maior denominação evangélica brasileira", que é um órgão oficial da CGADB. Todas as publicações da CPAD que tratam de doutrinas ou apologia, condenam veementemente a Teologia da Prosperidade. A questão é a seguinte: Denunciei aqui neste blog os erros teológicos, e a clara defesa da Teologia da Prosperidade, presentes na BÍBLIA DE ESTUDOS BATALHA ESPIRITUAL E VITÓRIA FINANCEIRA, lançada e divulgada por um membro da mesa diretora da CGADB.

"Pobreza é escravidão! Ela amarra as pessoas, impedindo-as de terem as coisas que necessitam. A pobreza leva à depressão e ao medo. Não é a vontade de Deus que você viva na escravidão da pobreza. É hora de Deus acabar com a escravidão das dívidas e da pobreza no meio do seu povo! É chegado o momento da liberação de uma unção financeira especial, que quebrará as cadeias da escassez e o capacitará a colher com abundância!" (Bíblia de Estudo Batalha Espiritual e Vitória Financeira, introdução xxvii)

Por quais razões a Mesa Diretora, ou o Conselho de Doutrina, não se manifestaram ainda sobre o assunto?

Escrevi um artigo sobre o fato e o enviei para a redação do Mensageiro da Paz. Por qual motivo não foi publicado?

Há equívocos doutrinários em meus argumentos sobre a Bíblia de Estudo Batalha Espiritual e Vitória Financeira? Porque nenhum pastor assembleiano os refuta? Qual é o problema? É de natureza "política"? É irrelevante? Qual o motivo da omissão?

Gostaria de respostas para estas perguntas!

Falando ainda sobre as Novas Teologias, quero citar algumas que não foram incluídas na lição, mas estão bem presentes no cenário evangélico brasileiro. Acesse os links abaixo:

- IGREJA EMERGENTE (1)
- IGREJA EMERGENTE (2)
- *TEÍSMO ABERTO (1)
- TEÍSMO ABERTO (2)
- TEÍSMO ABERTO (3)
- TEÍSMO ABERTO (4)
- O EVANGELHO DA AUTO-AJUDA
- ORTODOXIA GENEROSA


* Também chamada de Teologia Relacional ou Teologia do Processo.


SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS

ARCHER, Gleason. Enciclopédia de dificuldades bíblicas. São Paulo: Vida, 1997.
DANIEL, Silas. A sedução das Novas Teologia. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
EKDAL, Elizabeth Muriel. Versões da Bíblia. São Paulo: Vida Nova, 1993.
GEISLER, Norman; HOWE, Thomas. Manual popular de dúvidas, enigmas e "contradições" da Bíblia. São Paulo: Mundo Cristão, 1999.
HOUSE, H. Wayne. Teologia Cristã em quadros. São Paulo: Vida, 1999.
PAROSCHI, Wilson. Crítica Textual do Novo Testamento. 2. ed. São Paulo: Vida Nova, 1999.
PIPER, John; TAYLOR, Justin; HELSETH, Paul K. Teísmo Aberto. São Paulo: Vida, 2006.

3 comentários:

laurencie disse...

Pr. Altair, a paz do Senhor.
Sou membro da Ass. de Deus, mas não consigo entender porque se fala tanto contra a prosperidade.No livro 3 João 2: Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma. Ao ler esse texto, comecei a ver tudo com outros olhos. Se Deus faz votos pela minha prosperidade e saúde, então prosperidade não deve ser uma coisa má. Ela é uma dádiva de Deus. E o que dizer de Eclesiates 5.19? E quanto ao homem, a quem Deus deu riquezas e fazenda e lhe deu poder para delas comer, e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isso é DOM DE DEUS. Para se tomar posse da prosperidade, existe, porém, um pré-requisito. É preciso ser dizimista, conf. Mal. 3.8-10. A pessoa que não dá o dízimo deixa a porta aberta para o inimigo entrar em sua vida. Tem tanta coisa que gostaria de escrever... Leiam Dt 8.17-18, Gên.22.16-18, Gál.3.13-14.
Realmente esse assunto precisa ser tratado de outra maneira, ou então fazer um trabalho onde as pessoas só contem derrotas. Se falam em prosperidade, é uma confusão total.
Que Deus abra os olhos do entendimento de muitas pessoas. Se a pessoa não consegue ter alguma coisa a culpa é dela mesma.
Desculpa se escrevi muito. Deus o abençoe.

ALTAIR GERMANO, disse...

Laurenice,

não é a prosperidade citada na Bíblia contra o que se fala, mas sobre a "Teologia da Prosperidade", pois se trata de uma distorção e de exageros da verdade bíblica sobre o assunto.

Abraços!

Clayton Costa disse...

A Paz do Senhor Jesus;
Pr. Altair estou no mesmo sentimento que o senhor quanto o silêncio da CGADB a respeito do assunto em questão. Outro dia um Pastor amigo meu, morador da cidade onde pastoreio me contou sobre o "desabafo" do Pastor que vem apoiando doutrinas contrárias a que cremos, exigindo espaço para ter seus livros editados pela CPAD. Não entendo porque nossos líderes não se manifestam! Também não entendo porque o Pastor em questão não sai, se desliga da CGADB, afinal quem não está satisfeito é ele! Parabenizo-o pela atitude de falar o que convém a sã doutrina.