sábado, 29 de novembro de 2008

XUXA x IGREJA UNIVERSAL

IMAGEM: IG BABADO

Acusada de pacto com o demônio, Xuxa vence parte do processo contra jornal da Igreja Universal.

"Na edição 855 (Folha Universal), que circulou de 24 a 30 de agosto, um texto no jornal afirmava que Xuxa vendeu a alma ao demônio por US$ 100 milhões. Fotos da apresentadoram circularam em três milhões de exemplares e a capa trazia os dizeres "meu rei EXUx" abaixo da imagem principal. (Leia em IG BABADO)
A edição 855 já foi excluída do sistema de busca das edições anteriores do site da Folha Universal.

2 comentários:

Fabio Silvestre disse...

Eu li essa edição assim que me deparei com um exemplar e antes de começar a ler já imaginava ou melhor entendia que esse tipo de artigo só poderia ter como finalidade: chamar atenção para o jornal em si por ser um assunto polêmico,alfinetar a Rede Globo por ela ser um ícone dessa emissora e claro que persuadir as pessoas leigas em bíblia e amor ao próximo á enxergar essas pessoas como inimigas.O que eu achei interessante foi que o jornal trouxe a tona não só uma coisa já muito mascada no imaginário evangelico, que diga-se de passagem foi ridiculo pois não se preocupou-se com a pessoa(xuxa,mas também a forma polêmica, escrupulosa e irresponsavel que marcou esse assunto também no passado.
É simplesmente ridículo ver um veiculo comunicativo de uma "igreja evangélica" abordar esse assunto de uma maneira tão ultrajante.Será que não pensam na pessoa da Xuxa?Sinceramente esse pessoal( lideres da igreja IURD)estão cada dia mas afastados do evangelho de Cristo que deixou bem claro a necessidade de amarmos ao próximo e buscarmos a sua salvação. Com toda essa imagem que criam em torno da Xuxa como leva-la um dia a igreja? Como pregar o evangelho para ela? Como teremos a xuxa como irmã? A primeira coisa que ela diria seria: vocês me massacram e querem que eu seja como vocês?
Oremos primeiramente para pessoa, alma vivente, cidadã, individuo, ser,(Maria da Graça Meneghel, XUXA)para que ela não tenha odio de nós e se converta a Cristo Jesus e para os criadores de polêmicas no meio evangélico para que também se convertam ao PURO EVANGELHO DE CRISTO JESUS.

OLHO VIVO disse...

A QUEM POSSA INTERESSAR

Qualquer profissional que atua na área jornalística sabe ou pelo menos deveria saber que uma reportagem, seja ela qual for, precisa estar fundamentada na VERDADE para que Lea possa ter credibilidade. Outra coisa é que os envolvidos têm a OBRIGATORIEDADE de se aprofundarem em todos os temas que envolvem direta ou indiretamente o que se pretende publicar como material informativo, além de ter o cuidado de identificar e catalogar todas as fontes, juntar documentos, comparar as versões e buscar com seriedade e equilíbrio a preservação das informações que sejam VERDADEIRAS. Há ainda a questão da imparcialidade coisa escassa no mercado da informação hoje e que poucos advogam a sua prática. O repórter deve ainda tomar contato com os acontecimentos e com os seus intervenientes diretos; documentar-se bem sobre o máximo de informações do próprio acontecimento, dos seus agentes, do seu enquadramento, do contexto no qual se inscreve e soa assim deve publicar o que se pretende.

Bom, no caso da guerra entre RECORD/IURD x REDE GLOBO percebe-se nitidamente que os jornalistas da primeira estão apenas cumprindo ordem sem se preocuparem em buscar nos fatos e nos acontecimentos o esclarecimento e o encontro da verdade. O que se vê é que o Senhor Edir Macedo edita literalmente os textos e impõe de forma unilateral a seus jornalistas a obrigatoriedade de apenas ler o que a eles foi oferecido como matéria nos telejornais da emissora. É obvio que um profissional qualificado e comprometido com a transmissão de noticias jamais se submeteria a tal constrangimento, pelo contrário, este profissional se sério, abriria mão até do próprio emprego para mostrar com total transparência e isenção o que de fato está acontecendo. A RECORD impôs a ditadura, como já é comum e fez de seus âncoras escravos para defenderem as suas posições que como todos sabem são no mínimo duvidosas. A imparcialidade é notória e obrigatória. É constrangedor ver uma Ana Paula Padrão, um Celso Freitas entre muitos lendo literalmente as matérias sem sequer poder mostrar as suas posições, mostrando que a lei da mordaça é uma realidade insofismável nos corredores da RECORD e da IURD. A liberdade de imprensa, a falta de seriedade e a omisso impedem que os profissionais da RECORD responsáveis pela formação das matérias possam aprofundar no assunto e indo a fundo nas práticas mentirosas e imorais pregadas dentro dos templos da IURD, assim, a verdade está sendo surrupiada e a população sendo manipulada por informações maliciosas, distorcidas e inverídicas.

Só para lembrar, as práticas religiosas da IURD não têm qualquer relação com aquilo que a BÍBLIA ensina, fato que merece ser analisado, pesquisado com a participação de pessoas sérias e que levam o cristianismo dentro do estabelecido nas Escrituras Sagradas. Nesta guerra, até agora ninguém buscou fazer tal investigação o que facilitaria ver onde está a verdade. Um movimento religioso evangélico que se associa à práticas de umbanda, candomblé, feitiçaria, numerologia e outras que não estão inseridas nas práticas cristãs, que prega prosperidade como pano de fundo para o exercício da fé, que vive em razão única do dinheiro merece ser investigada com rigor. Sobejamente o que falta nas matérias veiculadas na RECORD é verdade, ela isenta a IURD e foca todas as suas matérias na GLOBO desviando o foco central que é sim as práticas religiosas danosas que os líderes daquela entidade usam para extorquir de forma persuasiva o dinheiro dos que freqüentam os seus templos. Até agora os enganos não foram investigados, a forma de governo dentro das IURD também não, qual é a participação dos fiéis na administração dos bens entre outros tantas práticas duvidosas adotadas pelos donos desta EMPREJA.

Sou evangélico e sinto-me envergonhado com o que andam fazendo o ele, por este motivo estou expondo aqui o que penso sobre esta bandalheira institucionalizada no meio cristão.


Carlos Roberto Martins de Souza
crms2casa@hotmail.com