quinta-feira, 27 de novembro de 2008

A INERRÂNCIA DA BÍBLIA (3). Subsídio para lições bíblicas.

Este post apresenta algumas Teorias Evangélicas de Inerrância, com base nas obras Teologia Cristã em Quadros e Teologia Sistemática: uma análise histórica, bíblica e apologética para o contexto atual. São elas:

1. Inerrância Plena. A Bíblia é plenamente verdadeira em tudo que ensina e declara. Isso envolve questões científicas e históricas, apesar de a Bíblia não ter propósito primário de apresentar informações exatas acerca de história e ciências. As aparentes discrepâncias podem e devem ser harmonizadas. (Proponentes: John Stott, J. I. Packer, Francis Schaffer, Millard Erckson, R. C. Sproul, Concílio Internacional sobre a Inerrância Bíblica)

2. Inerrância Limitada. A Bíblia não contêm erros apenas no que diz respeito aos ensinos doutrinário e salvíficos. Nas áreas de ciência e história, a Bíblia reflete as limitações culturais humanas. (Proponentes: Daniel Fuller, Stephen Davis, William LaSor)

3. Inerrância de Propósito. A Bíblia é inerrante apenas no sentido de concretizar o seu propósito inicial de de conduzir as pessoas a uma comunhão pessoal com Cristo. Neste caso, a Bíblia não é precisa no relato de fatos ou precisa no que afirma. (Proponentes: James Orr, Jack Rogers, Donald McKim, G. C. Berkouwer)

4. Irrelevância da Inerrância. A inerrância é irrelevante pelas seguintes razões: (a) A ineerância é um conceito negativo. A nossa concepção da Escritura deve ser positiva. (b) A inerrância não é um conceito bíblico. (c) Na Escritura, erro é uma questão espiritual ou moral, e não intelectual. (d) A inerrância concentra nossa atenção nos detalhes, e não nas questões essencias das Escrituras. (e) A inerrância impede uma avaliação honesta das Escrituras. (f) A inerrância produz desunião na igreja.

Apesar das diversas teorias, mantenho minha posição na Inerrância Plena da Escrituras, por entender que seja a mais coerente com o caráter do Deus que inspirou os seus escritores.

BIBLIOGRAFIA

FERREIRA, Franklin; MYATT, Alan. Teologia Sistemática: uma análise histórica, bíblica e apologética para o contexto atual. São Paulo: Vida Nova, 2007.

HOUSE, H. Wayne. Teologia Cristã em quadros. São Paulo: Vida, 1999.

Um comentário:

Anísia disse...

A Paz do Senhor irmão!
Acho interessante e muito pertinente expor as teorias evangélicas a cerca da inerrância da biblia. Todas possuem bons argumentos, mas ainda considero que a palavra de Deus é fiel e verdadeira apenas em sua mensagem central de amor pelos pecadores e perdão da parte de Deus. Quanto aos detalhes, acredito que estes estão sujeitos ao olhar de cada escritor. Apesar de a inspiração ser proveniente de Deus, as impressões pessoais e personalidade do escritor não são 'anuladas', e estas, sem dúvida, podem gerar formas diferentes de entendimento e narração de um mesmo fato.