sexta-feira, 14 de novembro de 2008

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

O magistério cristão é uma vocação espiritual. É Deus quem escolhe e capacita com o seu poder aqueles que ensinam a sua Palavra. Contudo, assim como em qualquer outro ministério cristão, ensinar é um trabalho onde a cooperação entre Deus e o homem é uma realidade. (1 Co 3.9a) Nesta cooperação, há investimentos divinos e humanos a serem feitos. Como já falamos, Deus investe com seu poder, sua iluminação, sua revelação, enfim, com as coisas espirituais que dependem exclusivamente dele. Os outros investimentos precisam ser feitos por nós.

A busca por um maior e melhor conhecimento bíblico, a melhora na forma de comunicarmos a Palavra de Deus, o uso adequado dos métodos de ensino, o planejamento da aula, os recursos didáticos, o conhecimento do desenvolvimento e das características psicológicas, cognitivas, morais, sociais, etc do aluno, é de nossa responsabilidade.

O professor de EBD precisa investir em sua vocação. A tomada de consciência desta necessidade é essencial para a transformação da nossa prática pedagógica cristã, tornando-a contextualizada, relevante, emancipadora e transformadora. O professor da EBD, na medida do possível, precisa investir na melhora de sua formação. Aqueles que pararam seus estudos devem buscar a conclusão do ensino fundamental, médio e superior. Não é que isso seja pré-requisto para ser professor da EBD, mas que faz a diferença, aliado ao poder do Espírito, isso faz.

O estudo teológico formal, os cursos de formação de professores seculares, palestras, seminários, congressos e encontros promovidos pela igreja e outras instituições cristãs, devem ser aproveitados. No caso das Assembléias de Deus, temos a Casa Publicadora das Assembléias de Deus que faz um grande trabalho através do CAPED, Encontros e Conferências de Escola Dominical. Mas isso ainda é pouco.

A igreja e a sua liderança precisam perceber o valor da Escola Dominical, com suas múltiplas funções (evangelismo, discipulado, educação cristã, etc) e possibilidades, assim como a importância de se investir e valorizar o professor, promovendo a realização de treinamentos e cursos de formação continuada, isso através da Superintendência Geral ou local, do Departamento de Educação da Igreja ou qualquer outro setor responsável. Esses cursos precisam fazer parte da agenda da igreja local. O professor da EBD se sentirá valorizado quando perceber o interesse da liderança e da igreja em sua formação e preparo.

Estremeço só de pensar que milhares de crianças, alunos de Escola Dominical, estão sob os cuidados de professores que não possuem nenhum preparo específico. Alguns professores são inclusive adolescentes, cheios de boa vontade, mas sem nenhuma condição de atender as reais necessidades das faixas etárias infantis (boa parte trabalham com as crianças em razão de não ter outra pessoa que se disponha a fazer o trabalho). Não é diferente com as outras faixas etárias. Muitos professores estão ensinando improvisados e de improviso.

Pensando nisto, a Assembléia de Deus em Abreu e Lima-PE (COMADALPE), através da Superintendência Geral da EBD, realizará no dia 15/11, sábado, das 13h00 às 18h00, no Templo Central, mais um CABEDAL (Curso de aperfeiçoamento Básico da Escola Dominical da Assembléia de Deus em Abreu e Lima). As incrições estão sendo feitas na secretaria das EBD's e no local do evento. O investimento é de R$ 5,00 (Cinco Reais). Os participantes receberão apostila e certificado. O CABEDAL já faz parte das atividades da igreja desde 1999.

Os temas abordados, assim como os preletores serão: Gestão de Pessoas na EBD (Evangelista e Bel. em Administração Daladier Lima; A EBD como espaço de formação de alunos pensantes (Pastor , Teólogo, Pedagogo e Especialista em Educação Cristã Altair Germano); Técnicas de contação de histórias (Professora e Psicopedagoga Marilúcia Francisca).

"[...] o que ensina esmere-se no fazê-lo;" (Rm 12.7b)

4 comentários:

Heitor disse...

A Paz do Senhor !
Pr.Altair,
Parabéns pela linda iniciativa: É verdadeira a afirmativa quando me falam que as AD's no Nordeste do Brasil realizam a Obra de Deus com excelência, inclusive no âmbito da EBD. Continuem assim, DEUS se agrada disso.

Elisomar disse...

É importante o professor está sempre se reciclando. Como eu queria que a liderança das congregações tivesse o interesse de dar um pouqinho mais de atenção à EBD, infelizmente nem sempre acontece assim.

daniel.amorim disse...

Bem! Não quero ser machista.
Mas acho que tem algo diferente com o símbolo da EBD em Abreu e Lima.

Consiste, como é visível a todos, na faixada da sede regional estilizada, uma bíblia em perspectiva, um ramo de trigo, pessoas.

Como sabemos, símbolo é símbolo, serve pra simbolizar. A bíblia é fundamento da EBD, mostrando que ensina-se sobre a Palavra de Deus; o trigo, pode ser os salvos; as pessoas, representam a abrangência da escola, que atinge todas as idades e sexos; por fim a faixada da igreja sede da convenção, representa... "a igreja sede da convenção!" (lógico)

O caso é que dá a impressão que essas pessoas que estão no símbolo representam uma família, mesmo que seja outra coisa, mãe pai e um casal de filhos. Nessa família, quem aparece em maior plano é uma mulher. Nada contra, mas acharia, de acordo com esse raciocínio, que poderiam ser os dois do mesmo tamanho.

Símbolo é símbolo, serve pra simbolizar, as imagens passam idéias, que idéia isso poderia passar.

Não levem a sério o que eu escrevi! Além de tudo sei que tudo isso que eu falei não tem nada haver com nada que estão falando aqui, mas resolvi escrever logo pra não esquecer.

daniel.amorim disse...

Romanos 16.3 - Paulo cita o nome da mulher antes do nome do marido.

Sem problemas com o símbolo!