sexta-feira, 3 de outubro de 2008

PEDAGOGIA: REVISTA NOVA ESCOLA QUESTIONA A QUALIDADE DOS CURSOS DE PEDAGOGIA NO PAÍS

"Um curso que tem como missão formar profissionais tão diversos como professores de diferentes segmentos, além de coordenadores pedagógicos, gestores, supervisores de ensino e pesquisadores, não tem como prioridade no currículo o "quê" e o "como" ensinar determinadas faixas etárias. Segundo a pesquisa realizada pela Fundação Carlos Chagas para NOVA ESCOLA, apenas 28% das disciplinas dos cursos ministrados em todo o país se referem à formação profissional específica - 20,5% a metodologias e práticas de ensino e 7,5% a conteúdos" (Leia em Nova Escola)

Esta matéria nos remete a pensarmos a qualidade da formação dos educadores cristãos, onde muitos não possuem nenhum tipo de formação inicial ou continuada.

Que o Senhor tenha misericórdia de nós, e que possamos acordar para a nossa dura realidade, entendendo que uma vocação espiritual deve ser exercida com responsabilidade.

A liderança da igreja deve investir na formação dos seus mestres (professores de EBD, seminários, discipulado etc.), e estes mestres precisam tomar consciência da necessidade de se tornarem gestores de sua própria formação, aproveitando todas as oportunidades que surgirem (cursos, palestras. seminários, conferências etc.) para o aprimoramento da chamada divina.

Um professor ou uma instituição de ensino cristão que deseja ser percebida como relevante para a sua geração, precisa buscar uma constante atualização e contextualização pedagógica.

6 comentários:

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá pastor Altair, a Paz do Senhor!!! O GQL recebeu um prêmio comunitário e indicou o seu blog como vencedor também. para mais detalhes dê uma passadinha lah no blog.

Abraços e Paz do Senhor!!!

Elizama disse...

A paz do Senhor,Pr.Altair!
Realmente o assunto em pauta é de relevada importância, os educadores atualmente estão chegando às salas de aula sem um preparo específico, observamos isto quando os estagiários chegam as nossas salas,muitos têm escolhido o magistério por ser uma área que oferece mais facilidade de conseguir "emprego",não observam a grande responsabilidade que tem um educador, além dos cursos não ter um preparo específico, muitos não gostam de pesquisar, de estudar e até mesmo detestam ler,como já ouvi muitos falarem ,muitas vezes só fazem um curso de graduação pensando em melhoria salarial.Em se tratando da questão dos professores da EBD,fico a indagar,como são ministradas as aulas nas salas,com aqueles professores despreparados,muitos não vem ao estudo, não participam dos cursos oferecidos,não se atualizam,não gostam de ler,como estão ensinando?Chegam as salas e ficam pedindo ao dirigente para mandar alguém para ajudá-los.Creio que ser professor da EBD é uma grande responsabilidade.Concordo com o Senhor quando fala do cuidado que se deve ter nesta área,realmente precisa-se investir mais na educação tanto na área secular quanto na área espiritual.Que o Senhor Jesus continue lhe dando visão sobre este apspecto e que a formação continuada seja primazia nos seus projetos para a EBD.

Elisomar disse...

É vero, pastor.

Elisomar disse...

A falta de recursos na maioria das vezes vem gerando uma deformidade na qualidade do ensino,isso vinculado a falta de interesse de alguns que só pensam em ter um diploma. E quando o professor chega em sala de aula, vem aquela sensação de impotência, e ele pergunta pra si mesmo; o que é que que estou fazendo aqui? Meu Deus, essa é a profissão que eu queria? Se fala muito em mudança na educação e seria ótimo que isso fosse levado a sério. No ensino secular é necessário trazer os valores primordiais de volta, como o civismo que se perdeu no tempo e que fazia muita diferença na formação do cidadão. No ensino teológico não deixar de lado as coisas simples de Deus por causa das letras. O Parabenizo pastor Altair, pelo interesse continuado de capacitar pessoas para realizção da obra de Deus

Matias Borba disse...

Paz Amado!

O que me preocupa as vezes é uma aparente falta de interesse de alguns professores e tambem da falta de apoio de algumas igrejas em relação aos professores de EBD, muitos acham que investir em livros para adiquirir mais conhecimento é complicado porque os livros são caros mas esquecem ou nem sabem que os livros para cursos superiores e de pós graduação são muito mais caros, outros dizem que só a leitura da bíblia basta, esquecendo que o apostolo Paulo investia tambem na leitura de livros para o auxiliar na tarefa de educar a igreja.
Se os educadores Cristãos não investirem em si mesmo com muita oração, leitura e dedicação o ensino não vai alcançar seus obijetivos. Quanto aos cursos superiores, creio que o ministério da educação precisa fazer constantemente revisões ou vistorias nas intituições de ensino superior, pois a procura tem sido muito grande e como geralmente o que se populariza acaba ficando mais acessivél a todos, algumas instituições podem tentar fazer a coisa funcionar de qualquer maneira.
Eu quero um ensino de qualidade, não quero um ensino pronto, quero um ensino que me proporcione a capacidade de pensar, pesquisar, muitos apenas aprendem o que foi ensinado e pronto, mas um bom educador vai mais além, ele buscar ser um pensador em beneficio de seus alunos.
Deus aençoe!

Elisangela disse...

Elisangela silva

Olá pastor Altair, sou recém formada no curso de pedagogia em umas universidade bastante conceituada no Estado de Goiás, e estou me vendo, juntamente com mais 31 colegas, neste dilema em relação a formação em Pedagogia! Passamos quatro anos, lutando para nos formarmos bons educadores, porque professores de profissão tem aos milhares no mundo todo. E ao final recebemos uam noticia de que o nosso diploma nao será expedido por falta de reconhecimento do MEC, por causa de falta de carga horaria em discipliasn importantes para a nossa prática. E então me pergunto: De que adianta depositar toda a nossa confiança em pessoas que dizer ser bons, gestores, administradores, professores, seja lá o que for, se estes nao se importam em ver o crescimento pessoal do aluno em uma instituição formadora de profissionais da educação? Tudo isso me deixa indignada. E penso que a defasagem do ensino nao está só na má preparação dos profissionais, mas sim na dedicação da instituição, da gestão e tambem dos professores no processo de formação deste profissionais. É uma pena que o descaso no Brasil nao seja somente político e abranja uma area tão importante para a sociedade que é a EDUCAÇÃO!