domingo, 5 de outubro de 2008

ELEIÇÕES 2008: RESULTADO DAS ELEIÇÕES PARA PREFEITOS EM PERNAMBUCO

Municípios Já definidos:

ABREU E LIMA

- Flávio Gadelha : 38.733 (65,08%)
- Jerônimo Gadelha: 20.783 (34,95%)

CAMARAGIBE

- João Lemos: 29.489 (36,50%)
- Meira: 28.966 (35,85%)

GOIANA

- Henrique: 15.339 (35,38%)
- Edval Soares: 14.326 (33,05%)

IGARASSU

- Gesimário: 27.044 (56,04%)
- Mário Ricardo: 21.215 (43,94%)

ITAMARACÁ

- Rubinho: 6.266 (52,10%)
- Paulo Volia: 5.281 (43,96%)

ITAPISSUMA

- Cal Volia: 7.513 (53,70%)
- Clóvis Cavalcante: (42,75%)

JABOATÃO DOS GUARARAPES

- Elias Gomes: 156.108 (53,63%)
- André Campos: 90.821 (31,20%)

OLINDA

- Renildo: 120.993 (56,43%)
- Jacilda: 40.919 (19,08%)

PAULISTA

- Yves Ribeiro: 49.180 (34,98%)
- Speck: 48.313 (34,36%)

RECIFE

- João da Costa: 432.707 (51,54)
- Mendonça : 206.827 (24,63%)

OBS: 1º e 2º colocados.

Demais Cidades: CLIK AQUI ou AQUI

"Disse Daniel: Seja bendito o nome de Deus, de eternidade a eternidade, porque dele é a sabedoria e o poder; é ele quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; ele dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes." (Daniel 2.20-21)

4 comentários:

Elisomar disse...

Gostei do resultado das eleições em algumas cidades. Infelizmente não posso dizer o mesmo daqui de Paulista. Como seria bom se o nosso prefeito honrasse os votos do pove e pensasse menos em festa e investisse mais em obras básicas!

Anônimo disse...

Meu irmão em cristo Altair, a Graça e Paz!

Os resultados das eleições para prefeito da região norte, conforme o número deste Blog, pode-se fazer uma leitura sobre o que realmente a comunidade evangélica quis dizer, uma vez que sempre estivemos de uma maneira ou de outra envolvida com a política da região norte.
Primeiro: o povo evangélico está mais politizado, ao ponto de votar em candidatos independentes de ser ou não evangélicos;
Segundo: os evangélicos não aceitam mais a associação da igreja com o poder;
Terceiro: os que foram chamados para o trabalho do mestre, deve se contentar com o seu chamado e não arrebanharem para si as ovelhas que o Senhor os entregou para cuidarem.
E por último, vejo os resultados desta eleição como julgamento e um “Não” da parte de Deus, para a Igreja não mais se envolver com o poder, pois uma coisa é a Igreja ensinar o povo, tanto crente como aos incrédulos a escolherem os governantes. Esta é justamente uma de suas funções, pois o próprio Cristo disse que seriamos o sal da terra e a luz do mundo. O envolvimento com o poder temporal nunca trouxe dividendos para a Igreja. Basta verificar a história e aprender com ela, embora pareça-nos que só aprendemos quando temos experiências traumáticas como é o caso da igreja que “perdeu” com todos os candidatos que apoiou (Paulista, Abreu e Lima, Igarassu e Itapissuma), entretanto, nós como Igreja, não vamos ficar cabisbaixo, erguemos a cabeça e vamos tomar o rumo, fazendo aquilo o que Deus determinou para a Igreja. Fica aqui para meditação nossa, o propósito da Igreja que Pedro nos escreveu: “Eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas”. (I Pe 1:). Então, eis os dois propósitos da igreja segundo o Apóstolo Pedro: obediência a Deus e a aspersão do sangue de Cristo no mundo que implica em ensino e a evangelização. Amém!

Dc. Elias Charamba

Anônimo disse...

gA prova de que a igreja nao deve se misturar diretamente com a política é esta,que todos apoiados pela igreja perderam;que todos entendam que o voto é livre e só os alienados prestam obediencia a exigências sem fundamentos bíblicos,vamos nos empenhar na propagação do evangelho e no resgate de almas para cristo,vamos deixar de envolver o nome de Deus em interesse própio,Deus não é injusto nem seus servos inocentes.

Pedro(igarassu).

Anônimo disse...

Concordo em vários pontos com os irmãos, mas quem levantou José para governar? foi Deus.Sou a favor da igreja apoiar alguns políticos.A diferença é que José governou por tanto tempo e nunca se corrompeu.Apoiar sim mas políticos com história de trabalhos à comunidade.Mas apoiar pessoas com históricos de corrupção é um fim dos tempos.A paz!