sábado, 30 de agosto de 2008

A SEDUÇÃO DAS DROGAS. Subsídio para lição bíblica (2)


No primeiro post, tratamos de indicar alguns links com informações conceituais, estatísticas, históricas etc. Neste, falaremos sobre o fato de que os filhos de cristãos não estão livres da sedução das drogas.

Todos nós sabemos, que muitos filhos de crentes já se enveredaram pelo mundo das drogas e da delinqüência. Por quais razões isto acontece e como prevenir tais atitudes?

Não tenho dúvida alguma sobre a importância do papel da família neste processo preventivo e, inclusive, restaurador.

ATITUDES NEGATIVAS QUE COOPERAM EM FAVOR DA SEDUÇÃO DAS DROGAS

- Falta de participação na vida dos filhos. Os pais estão participando cada vez menos da vida dos filhos. O grande volume de ocupações, o corre-corre dos tempos pós-modernos, o pensamento equivocado de que algum familiar ou parente, assim como a escola e a igreja podem suprir suas ausências, são fatores que geram carência e podem provocar alguns níveis de ansiedade e carência social, desencadeando um processo que pode culminar no envolvimento com amizades perigosas, na super-valorização deste grupo e num possível envolvimento com drogas.

- Falta de afetividade. É natural que pais ausentes acabem por não suprir as carências afetivas e emocionais de seus filhos. A falta de um beijo, de um abraço, de um afago, de uma palavra, de um olhar terno, pode conduzir nossos filhos na busca de compensações, e neste buscar, ele pode encontrar nas drogas um meio de suprir estas carências.

- Falta de diálogo. A ausência dos pais implica na falta de interatividade, de conversa, de saber dos filhos como estão, como se sentem, com quem andam, que ambientes freqüentam, como vão nos estudos, na escola, na vida. Os pais acabam se tornando estranhos dentro de casa, pessoas em quem os filhos passam a não confiar, visto que confiança só perdura e cresce com aproximação, intimidade, relacionamento.


REPENSANDO A EDUCAÇÃO CRISTÃ DOS FILHOS

Muitos pais atualmente se perguntam, como meu filho pôde seguir este caminho das drogas? Eu não o criei na igreja?

A grande questão é: o que significa criar na igreja? Jogar o menino na escola dominical? Levar o garoto ou a garota para o culto e deixá-lo correndo no pátio do templo?

Os pais levam ou mandam seus filhos para a igreja, mas não se importam com eles, não perguntam como se sentem, não se interessam se a aula na escola dominical ou o culto lhe agradaram, o que aprenderam...

O garoto ou a garota crescem num regime de ditadura e imposição de normas de conduta, numa agenda sem lazer, sem brincadeirass, sem sorrisos, sem infância, sem adolescência, sem família. O resultado disto? trauma e revolta que podem se manifestar com o tempo através de uma atitude rebelde, de confrontação, de incredulidade, de ódio. As drogas neste caso, podem servir para provocar nos pais a dor, uma certa forma de puni-los por aquilo que não deram, por suas omissões.

Uma postura e atitude correta dos pais, promoverá uma grande ação preventiva e ajudará os filhos a vencerem a sedução das drogas.

Para os pais que falharam na educação dos filhos, ter consciência disto e mudar de atitude, é fundamental para recuperação e libertação daqueles filho que se envolveram com drogas.

Se você entende que fez tudo certo, mas mesmo assim seu filho escolheu o caminho das drogas, ame-o, interceda por ele, pois há poder no amor de um pai e de uma mãe, há poder também no nome de Jesus. Não desista de seu filho.

Um comentário:

Marcos Barros disse...

Pr. Altair...

A sedução das drogas e de muitas outras mazelas que atingem as famílias evangélicas tem a sua origem na negligência de muitos dos pais no trato com seus filhos, conforme já tratado no texto em questão. Gosto muito das exortações contidas nos versículos de Dt 6.6-9 e Pv 22.6, os quais lançam em nossos rostos que, de certa forma, somos responsáveis pelo futuro dos nossos filhos. Somos nós que devemos educá-los nos princípios da vida cristã. Se, porém, deixar-mos esta obrigação para as escolas e a televisão, com certeza o destino de nossos queridos filhos será o "inferno". Portanto, não negligenciemos aquilo que o SENHOR tem nos ordenado: "ensinar as nossas crianças no caminho em que devem andar". Pois, temos uma promessa de Deus que diz: "quando elas envelhecerem, não se desviarão da sua Palavra". EU CREIO...

Ir. Marcos Barros / Dirigente da EBD em Casa Caiada.