quarta-feira, 6 de agosto de 2008

CGADB - EDITAL DE CONVOCAÇÃO

A Mesa Diretora e o Presidente da CGADB, nos termos dos art. 39, I e II, e 40, II, do Estatuto Social, expediram o edital de convocação a todos os associados adimplentes para a 39ª Assembléia Geral Ordinária, de 20 a 24 de abril de 2009, com abertura do culto solene no dia 20, segunda-feira, 19:00 hs, e as plenárias com início às 09:00 hs do dia 21, no Pavilhão de Exposição de Carapina, situado na Rua Constante Sodré, 157, Bairro Santa Lúcia, Vitória, ES.

O temário me chamou a atenção pela inclusão de alguns temas que neste blog temos tratado, tais como:

- Posicionamento da CGADB quanto à nulidade ou anulabilidade do casamento, união estável e concubinato, e a revisão do posicionamento acerca do divórcio.

Leia os posts TEOLOGIA FABIANA e UNIÃO ESTÁVEL E BATISMO NAS ÁGUAS

- Modismos neo-pentecostais

Leia o post A BÍBLIA DE ESTUDO BATALHA ESPIRITUAL E VITÓRIA FINANCEIRA SOB UMA PERSPECTIVA PENTECOSTAL E ORTODOXA

- Remoção dos marcos antigos

Leia o post USOS E COSTUMES: QUESTÕES ASSEMBLEIANAS CONTEMPORÂNEAS

Minha preocupação é que em meio ao clima eleitoral, as discussões e debates acabem sendo prejudicados, ou venham a tomar um viés político.

Que o Senhor nos ajude!

4 comentários:

Elisomar disse...

Desde já a temos que orar pelas questões em vista. Não se pode querer agrada ao homem, sem que o Senhor esteja Feliz. Que Deus dê sabedoria ao seus servos e tudo seja feito para Glóia a dELe.

Silvio Araujo disse...

Pastor Germano, o simples fato de incluírem na pauta já mostra que há uma inquietante necessidade de abordagem.
Certamente isto é fruto também de comentários de blogs como o seu, que, longe de ser polemista, tem estado na vanguarda das observações e discussões.
Oremos para que o que for decidido tenha o aval do Espírito Santo.

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

Pastor Altair, a paz!
Parabéns pelo blog que tem nos enriquecido com informações importantes...

Um dos pontos desse edital já está equivocado! Porque digo isso? O texto coloca com ameaça como uma para Assembléia de Deus a “remoção dos marcos antigos”. Vemos nessa frase um problema exegético. O texto de Provérbio 23.10, que diz: “Não removas os marcos antigos, nem entres nos campos dos órfãos” (ARA), não trata sobre remoção de tradições ou costumes de ancestrais, mas sim sobre a invasão de terra alheia, onde marcos que haviam sido estabelecidos foram removidos para que o impostor pudesse ter uma terra maior. Esse texto nos ensina a prática da justiça e não a preservação intocável de tradições humanas.


Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

Graça Souza disse...

Graça e paz!
Concordo plenamente com o irmão Sílvio Araújo.
Se já tem fumaça é porque há fogo.
Que o Senhor nos ajude!
Deus o abençoe pr. Altair.
PS. Gosto muito dos seus comentários pra EBD.
Graça Souza