quinta-feira, 3 de julho de 2008

QUEM MANIPULA QUEM?

É notório que a cada momento, uma nova onda de modismos surge entre pregadores e ensinadores da Palavra. As mais diversas "esquisitices" são utilizadas como instrumentos de manipulação e manobra do público ouvinte. Tais esquisitices recebem a aura de manifestações do poder do Espírito, e seus propagadores, vestem-se com o manto do ungido intocável.

Daí em diante, vale tudo em nome da pseudo-espiritualidade do "vaso" ou do "profeta". Quem ousa tocar? Cuidado para não ser ferido? A teologia do "medo" e da "intimidação" prevalece nas mentes e nos discursos destes "instrumentos santos", sendo absorvida na maioria dos casos, sem nenhum filtro crítico.

As "esquisitices" acabam se transformando no padrão de pregação-apresentação do momento, onde fora deste, tudo é mera frieza e insensibilidade espiritual. Contagiados (ou contaminados) por tais pensamentos, surge uma casta de "pregadores do momento", que em nada contribui para a transformação e formação espiritual do povo de Deus, engrossando desta forma o cordão dos reprodutores de "formas de pregar", sem compromissos mais sérios com a essência e o conteúdo da pregação.

A coisa ganha tanta força, que as "esquisitices "passam a ser desejadas, aplaudidas e até exigidas pelo "público" ouvinte. É neste contexto que algo interessante acontece. O pregador-ensinador deixa de ser o manipulador das massas, para se tornar o objeto manipulado.

As massas (e muitos líderes), também contagiadas, contaminadas, embriagadas e entorpecidas pela "onda" do momento, projetam nas "esquisitices" e no "esquisito", o ideal de Deus para saciar o desejo de poder e de renovação espiritual.

Um novo padrão de "mensageiro de Deus" é imposto, e quem nele (pregadores e ensinadores) não se enquadra (ou não se rende), fica fora do "mercado" de estudos, palestras, seminários e conferências evangélicas, com seus atraentes cachês e vicissitudes maléficas.

Tenho recebido e atendido alguns convites. Louvo a Deus por isso. Gostaria de deixar claro, que se alguém está procurando pelo perfil do pregador-ensinador acima descrito, manipulador e manipulável, não perca o seu precioso tempo comigo. Não fui ainda, e espero não ser também contaminado .

11 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Pr. Altair,

Concordo com você meu irmão, em gênero, número e grau. Também tenho alguns convites pela misericórdia de Deus. Mas, quem me convidar já tem que saber de antemão, que não não entro neste "esquemão" de pregador/neurolingüísta/manipulador de massas, pois só prego a Palavra e não há show. Parabéns pela postagem.

Abraço

Juber

Daladier Lima disse...

Estamos perdidos. Mas nada que não estivesse previsto. Os comichões no ouvido estão na profecia de Paulo. Tanto pregadores quanto igreja releiam!

zwinglio rodrigues, pr. disse...

Pr. Germano, paz.

Seu texto, além de um certo fundamento, exala uma certa alfinetada...

Mas, acerca de quais esquisitices o irmão se refere mesmo?

Gostaria de saber a respeito de quais esquisitices o irmão está falando, pra constatar, à luz das Escrituras, quem está com a razão: os pregadores esquisitos ou os não esquisitos.

Sei não... mas nas páginas da Bíblia, nós encontramos algumas esquisitices propostas por Deus ou, às vezes, implementadas por Ele mesmo...

Xiiiiii!!! Será que blasfemei?!!!

ALTAIR GERMANO, disse...

Amado Juber, que o Senhor continue lhe abençoando. Siga firme e forte no ministério que o Senhor te entregou.

Um abraço e a paz do Senhor!

ALTAIR GERMANO, disse...

Daladier, aproveitemos os espaços e oportunidades para pregar e ensinar a sã doutrina de forma sã.

Shalom!

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre Zwinlgio, falo de técnicas de manipulação psicológica, técnicas de oratória, chavões, imitações baratas, desequilíbrio emocional etc, etc etc....

Todos sabemos que Deus pode operar de maneira "esquisita" (para os naturais), mas não é disto que falo.

Pelo Espírito, pela Palavra e fundamentado nestes, pelo bom senso, não é difícil discernir entre o humano e o divino, entre condicionamento pre-meditado e liberdade do Espírito.

Já vi Deus fazer coisas absurdas, e já vi absurdos em nome de Deus.

Um abraço!

Anônimo disse...

Concordo no que o pr. quer dizer, sabendo pela entrelinhas o nome do pregador ao qual o post se refere, porém, algumas almas podem ver u dvd de pregação dele e serem tocadas por Deus a ir a uma igreja e aceitar a Jesus. Embora fazem muito marketing para si prórprios estão pregando a palavra.

As vezes este blog tem sido muito ácido.

Deus vos abençoe.

ALTAIR GERMANO, disse...

Amado anônimo,não me referi a ninguém especificamente.

Quem tem ouvidos, ouça.

No Reino de Deus, os fins não justificam todos os meios.

Muito ácido? Sua perspectiva sobre o blog é interessante, vou refletir um pouco sobre ela.

Que o Senhor também te abençoe querido. Ora por mim!

zwinglio rodrigues, pr. disse...

Pr. Germano, paz.

Tenho sérias dúvidas quanto à existência de púlpitos que não sejam behavioristas em um nível ou outro... por exemplo.

A questão das imitações, têm mais haver com problemas de identidade do que com qualquer outra coisa. Logo, esses imitadores carecem mais de misericórdia do que de "ataques implacáveis".

De tamanha misericórdia, carecem também os deseqüílibrados emocionalmente.

Quanto aos chavões, encontramos eles em todos os lugares evangélicos meu caro colega.

Eu penso que o mais assombroso diante de tudo isso, seja o fato do Senhor da Igreja, permitir a continuidade ministerial desses líderes-pregadores.

Basta olharmos para o Davi Miranda (talvez alguém que se enquadre nesse contexto esquisito proposto pelo irmão... quantos anos à frente do povo de Deus?).

Discorod do Daladier quando diz que estamos perdidos só por causa desses esquisitos homens de Deus.

Temos problemas mais crônicos assolando as fileiras o exercíto do Senhor.

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre Zwinglio, a prática da misericórdia, a existência de problemas "mais sérios" e a permissão de Deus, deveria nos isentar de denunciar os abusos citados neste post (e tantos outros)?

De qualquer forma, diferenças de perspectivas à parte, seu comentário enriquece o post, e dá ao leitor a oportunidade de analisar a questão por ângulos diferentes.

Um abraço irmão.

José Rinaldo de Santana disse...

Querido pastor Altair, graça e paz.Lí este comentário sobre a manipulação dos pregadores, há muito tempo tenho observado pregadores manipuladores e fico pensando, o povo de Deus é ´
geração eleita, nação santa, sacerdócio real. 1Pd.2.9, e não pode, nem deve ser massa manipulada por nenhum animador de platéia, porém tenho visto muitos crentes sem conhecimento, crendo em profecias de manipuladores e se dando mal.

O tempo do profeta Oseias se repete, a igreja de Cristo precisa urgente de pessoas compromissada com a palavra e não com bla, bla, bla.

www.rinaldoeapalavra.blogspot.com