domingo, 13 de julho de 2008

FILOSOFIA EM COMUM

IMAGEM: www.marciatiburi.com.br

Dias atrás, assistindo o programa do Jô Soares, achei interessante a entrevista da Márcia Tiburi ao falar de seu livro "Filosofia em Comum: para ler juntos". Comprei um exemplar e estou gostando da leitura.

Amante da liberdade de pensamento e da expressão que sou, achei interessante a proposta da obra:

"Este livro, caro leitor, quer apenas libertá-lo de toda leitura escravizante e abrir a chance de uma leitura libertadora, a leitura que faz pensar." (TIBURI, 2008, p. 40)

Ao ler esse trecho do livro, logo me lembrei da Bíblia. Existe livro mais libertador que a Bíblia? Penso que não, e você amigo filósofo? Para responder a tal pergunta, concordando ou discordando de minha opinião, que não tem a intenção de ser imposta, só lendo as Sagradas Escrituras do judaísmo e do cristianismo.

Fazendo isto, você descobrirá um livro que não liberta apenas de leituras escravizantes, mas de tudo que de alguma forma escraviza e oprime o homem, tornando-o um ser-menos e coisificando-o.

A Bíblia é o livro do Deus pensante, que criou seres livres e pensantes à sua imagem e semelhança, para a sua glória.

Indico a obra "Filosofia em Comum". Indico, acima de tudo, a Bíblia!

5 comentários:

zwinglio rodrigues, pr. disse...

Pr. Germano, paz.

Sobre o que você disse a respeito da Bíblia, concordo em gênero, número e grau, evidentemente.

Eu também vi a entrevista da Tiburi no programa do Jô. Foi bastante proveitoso. Ela é carismática, alegre, sorridente, simpática... um doce.

Mas, gostaria de deixar minha repulsa pelo fato de existirem líderes evangélicos que trabalham contra o foco primário do livro da Tiburi:

"Este livro, caro leitor, quer apenas libertá-lo de toda leitura escravizante e abrir a chance de uma leitura libertadora, a leitura que faz pensar."

Liberdade de pensamento, de aceitação teológica particular, faz mal aos líderes manipuladores, alienados e alienantes...

Pensar traz conhecimento que por sua vez outorga poder.

Deus livre a Igreja dos castradores do pensar e do conhecer.

Elisomar disse...

A Paz do Senhor!
pastor, estou longe de ser a melhor e a maior leitora do mundo, mas já li muito. No entanto, nunca li livro algum que fosse superior a Bíblia e nem mais convincente, é a maior Autoridade em todos os assuntos!

sandre disse...

Via entrevista e estou lendo o livro,
e como também sou partidario do livre pensemto e da liberdade.
Por isso sou um apaixonado pela Biblia.
mas este livro é muito interessante.

Pena que no meio evangélico nacional o livre pensamento não é algo muito em voga.

Abçs
Sandre

Anônimo disse...

Pr. Altair Germano

Concordo totalmente com o senhor, que a leitura deve ser libertadora e reflexiva, dando-nos o direito de liberdade de expressão. Gostei da dica do livro. E claro, nada substitui o Livro dos livros: a Bíblia. Na paz de Cristo, Quédia.

Fernando Ávila disse...

Olá Pstr Germano!!!
Tenho certeza que o livoro ñ se referiu a lirtação religiosa; pois ñ é a função da filosofia.
Quanto ao sagrado, ñ podemos negar q existe (no velho) testamento leis q foram chamadas de "estatuto perpétuo", q foram anuladas no novo testamento. EX.: Levítico 23:26 Levítico 25:44 a 46, Êxodo 21:20,21
Compare com: Salmos 19:7,8 Deuteronômio 30:10.
A pergunta é: Essas lei foram inspiradas por uma Ética (perfeita)?
Se a resposta for não; então, como um ser perfeito tem uma noção de certo e errado (ética) imperfeita?
Se for sim, então por que ñ estamos utilizando essa leis?
Sendo assim, essas leis eram sagradas, mas, deixaram de ser.