sábado, 19 de julho de 2008

FAMÍLIA: SENTADOS EM CASA, E ANDANDO PELO CAMINHO, DEITANDO-SE E LEVANTANDO-SE

"Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te." (Dt 6.6-7)

O texto bíblico acima, foi escrito numa época em que pais e filhos sentavam juntos em casa e andavam juntos pelo caminho. Talvez, neste momento em que você lê estas linhas, discorde por alguma razão de minha colocação inicial. Espere para tirar as conclusões ao final desta postagem.

A família, nos dias atuais, passou a se comportar de maneira bastante estranha, se distanciando cada vez mais das atitudes e gestos que promovem um bom relacionamento, que encurtam as distâncias, que abrem as portas para a boa conversar, o sorriso espontâneo, o partilhar de coisas boas.

A casa, ambiente onde mora a família, foi dividida em áreas restritas, onde cada indivíduo vive em seu pequeno mundo e a privacidade de cada um "precisa" ser respeitada. Em grande parte dos casos, tudo acontece nos quartos. Cada quarto tem a sua TV, seu DVD, seu computador, seu mp3, 4, 5, 7 etc. Lá, os membros da família passam o tempo, se alimentam e dormem.

Nas famílias que não gozam de uma situação financeira mais privilegiada, a televisão continua na sala. Cada um ocupa o ambiente na hora de seu programa favorito. Raros são os momentos onde na sala a família se reúne, e quando assim o faz é para assistir um programa de interesse comum, com um detalhe: nos mais absoluto silêncio, para não atrapalhar. Ao terminar o programa, cada um vai para o seu cantinho, onde a vida mediocrimente continua.

As refeições também deixaram de ser um momento de reunião familiar. Em função das atividades do mundo moderno, os horários de pais e filhos, marido e mulher, não mais se ajustam. Resta então os finais de semana, e o que acontece? A comida esta pronta! Alerta a dona de casa ou a secretaria. Cada um vai na cozinha ou na mesa, pega o seu prato e toma o seu rotineiro destino. A mesa tornou-se obsoleta em muitos lares.

E os passeios? eis ai uma boa oportunidade de "andar pelo caminho" , de conversar enquanto se anda, e o que acontece? A família segue junta fisicamente, mas, distante emocionalmente e relacionalmente. Indo de ônibus ou por outro meio de transporte coletivo, o desconforto e a falta de privacidade compromete o diálogo. Indo de carro, o som ou o DVD é logo ligado, os garotos colocam o Mp3, 4, 5, 6, 7 etc. nos ouvidos, e a família segue junta, cada um em seu mundinho. Ao chegar no destino, nova dispersão, o passeio e o lazer são desfrutados individualmente e isoladamente. Ao término, volta-se para casa, onde a vida mediocrimente continua.

Pais, filhos e casais acordavam juntos e deitavam juntos, na mesma hora. Compartilhavam juntos das primícias do dia e da prensença insubstituível uns dos outros. Por fim, após o jornadear, encerravam o dia juntos.

Esse texto não tem o propósito de ser meramente saudosista, foi escrito para impactar a sua vida e a sua família. Trata-se de uma realidade que pode e deve ser transformada, se quisermos dias melhores, para nós, para nosso cônjuge e filhos.

Se reuna o mais rápido possível com os seus entes queridos, conversem e façam um acordo para mudar a situação. Isto é urgentíssimo.

E sobre o texto bíblico do início desta postagem, o senhor não vai comentá-lo? É claro que vou, assim que a família voltar a se reunir e a conversar.

Um comentário:

Elisomar disse...

Pastor,
o assunto aqui postado é muito interessante. É de sentir saudades mesmo de velhos tempos. No meu ver isso acontece porque além da correria do dia a dia, existe também a falta de amor entre casais e isso reflete na criação dos filhos. muitas vezes há a preservação do casamento por outros fatores que não é o amor. suportar o conjuge sem amá-lo, traz uma rotina pesada. Ainda que exista a vontade de unificação, isso ainda é sem sabor. Tenho observado de muito perto esse assunto, durante muito tempo. Estou quase me especializando. rsrs Há uma diferença muito grande, entre um casal que criou seus filhos demonstrando o amor que um tem um pelo outro. Mesmo filhos que se separam na fase adulta e precisam sair de seu estado, cidade...eles têm aquele prazer de voltar e se reunirem com seus pais. É obvio que não descarto outros fatores, mas esse é o ponto chave dessa situação.