domingo, 8 de junho de 2008

POR UMA ELEIÇÃO CONVENCIONAL ESPIRITUAL


Amados, parece-me que os posts TRIBUNA CONVENCIONAL e TRIBUNA CONVENCIONAL (2), publicados neste blog, causaram as mais diversas reações em nossos leitores. Preciso esclarecer algumas coisas.

Não defendo nestes posts, o partido "X" ou o partido "Y". Defendo a imparcialidade na resolução dos problemas e dos conflitos que envolveram as eleições convencionais. Os erros do partido "X", devem ser tão repudiados quanto os erros do partido "Y". As virtudes do partido "X" devem ser tão enaltecidas quanto as virtudes do partido "Y".

Entendo e respeito as declarações e os repúdios apaixonados ao que publiquei, mas por favor, deixemos as paixões de lado, pois elas embotam os pensamentos e comprometem a razão e o bom senso.

O que precisamos é de uma eleição isenta de qualquer elemento mundano e secular, da parte de quem quer que seja. Precisamos de uma eleição "espiritual". Falo aqui tanto do plano-estratégico da campanha e suas articulações, quanto da postura dos candidatos e de seus simpatizantes.

Os apóstolos e a igreja primitiva tiveram que tratar com situações que envolveram "eleições" (At 2.15-26; 6.1-7), mas agiram debaixo de um profundo temor a Deus e de constante oração.

O pastor Sila Malafaia fez uma proposta para uma chapa de consenso, mas não houve consenso sobre a referida chapa.

Quero também fazer algumas propostas:

- Proponho que todos os envolvidos nestes tristes episódios, a começar pelos candidatos à presidência, peçam perdão a Deus e se perdoem mutuamente de forma pública.

- Proponho um grande movimento de oração nacional, encabeçado pelos candidatos à presidência e aos demais cargos convencionais, pelas próximas eleições.

- Proponho o fim de todas as acusações e o máximo de transparência possível em todo o processo eleitoral.

- Proponho o cumprimento do estatuto e as devidas correções em qualquer falha que porventura houve, conforme denunciado pelo pastor Silas Malafaia em seu programa.

- Proponho o fim das ameaças e do apelo à "justiça dos homens" (1 Co 6.1-7)

- Proponho uma eleição que em tudo glorifique a Deus (1 Co 10.31)

- Proponho a observância por parte daqueles que pregam e ensinam a Bíblia, de seus princípios e mandamentos (1 Co 9.27)

Nada nesta vida justifica um "escândalo" promovido contra o Evangelho.

Deus está envergonhado com tudo isso.

Nos envergonhemos também e mudemos de atitude! Pela parte que me cabe, perdão a todos, perdão Senhor.

No amor de Cristo,

pastor Altair Germano

13 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezado Pastor Altair!
Ainda que de minha parte não havia a menor necessidade do seu esclarecimento, mais uma vez assino contigo o novo post.
O preclaro imrão não precisa do meu apoio. O faço por livre e espontânea vontade e justamente porque pensamos da mesma maneira.
Não estamos defendendo nomes, mas uma causa.
Parabéns!

Juber Donizete Gonçalves disse...

Pr. Altair,

Primeiro gostaria de dizer adicionei seu blog nos meus links. Depois dizer que o irmão, abordou um tema polêmico de forma equilibrada. Faço das minhas palavras, as mesmas do Pr. Carlos Roberto, no sentido de apoio ao seu post. No meu entendimento, faltou prudência, (para dizer o mínimo) ao Pr. Silas Malafaia por trazer esse assunto a um programa de televisão em rede nacional. Temos que orar como foi dito, pois sinto que vêm nuvens densas por aí. "Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?" I Pedro 4:17.

Que Deus nos guarde,

ALTAIR GERMANO, disse...

Amado companheiro e amigo Carlos Roberto, obrigado por sua participação, sempre bastante equilibrada.

Oremos pela causa!

Um abraço e a paz do Senhor!

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre Juber, obrigado por ter adicionado este blog aos seus links.

Agradeço também ao apoio ao post.

Quanto ao pastor Silas, para uns ele foi imprudente, para outros, ousado. é uma questão de ponto-de-vista.

De qualquer forma, resta-nos orar e aguardar os acontecimentos.

Um abraço e a paz do Senhor!

ALTAIR GERMANO, disse...

Amados leitores, pelo desejo de ver as coisas caminharem pacificamente, gostaria que os comentários destinados a este post, viessem daqueles que anseiam pelas propostas aqui colocadas.

Por favor, evitem nomes e novas acusações.

Paz do Senhor!

Victor Leonardo Barbosa disse...

muito bom post pastor Altair. O que vemos cada vez mais é a defesa de pessoas e não causas. Infelizmente a mais valorização dos líderes do que das causas.

O que falta realmente, é a imparcialidade, tão importante para uma boa comemoração dos cem anos da igreja(como ele será?)

importante post.

abraços e Paz do Senhor!!!

José Rinaldo de Santana disse...

Pastor Altair, Apaz do Senhor, estou orando por uma eleição convencional espiritual, e que não haja "politicagem", que tudo seja feito de acordo com a vontade de Deus.
Pastor Altair, recomendo a todos os meus contatos seu blog.

www.rinaldoeapalavra.blogspot.com

Anônimo disse...

Caro Pr. Altair,
Paulo escreve-nos aos Coríntios que devemos ter uma conduta espiritual, e, diferentemente de pensarmos que ser espiritual é demonstrar uma certa “aura” com uma pretensa espiritualidade. Ser espiritual é termos uma conduta moral e ética nos padrões bíblicos. É bem verdade que ao observamos as leis do AT quanto a santidade, fala-nos justamente de um viver moral e ético para com Deus e também para com o próximo. E essa mesma idéia vai perdurar no NT.
Entretanto, o que estamos vendo é justamente o contrário do que Paulo ensinou: “Entretanto, vós, quando tendes a julgar negócios terrenos, constituís um tribunal daqueles que não têm nenhuma aceitação na igreja.” O que estamos vendo, é um assunto doméstico sendo tratado publicamente, como se na Igreja do Senhor não existisse nenhum sábio que possa ser levado o assunto da discórdia para que haja um julgamento que não venha expor publicamente as nossas desavenças.
É notório, que nós assembleianos não sabemos conviver com eleição ou pensamento oposto. No entanto um parecer contrário não necessariamente significa inimizade.
Então, assembleianos, aprendam a conviver com as diferenças, pois é certo que Deus nunca condenou as diferenças, desde que elas não venham denegrir ou se opor as Santas Doutrinas. Termino aqui, parafraseando Paulo: quer seja uma eleição, quer seja uma disputa ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a GLÓRIA DE DEUS.

Elias Charamba

Anônimo disse...

pastor altair venho com muito prazer concorda com seu pensamento acerca deste assunto que tem sido tratado de forma equivocada e subjetiva por alguns assisti ao programa do pastor Silas e fiquei de certa forma me perguntando a que ponto chegamos trazendo assuntos internos da convenção a publico. que exemplo os obreiros da nova geração estão tendo de nossos lideres mais experientes, vale dizer que de certa forma impera entre muitas lideranças uma cultura aversas a diferenças de opiniões e faça o que mando sem questionar, no entanto é preciso moderação e equilibrio Paulo disse aos filipenses 2.1-4. um abraço em Cristo Jesus. Misael Charamba

MARCOS DANIEL disse...

Pr. Altair
Uno minha voz à de milhões de irmãos brasileiros, e em especial aos assembleianos, que defendem uma causa. O modus operandi da politicagem não podem ser utilizados em eleições de uma mesa convencional cristã. Meios escusos, de quem detem o poder economico, politico, ou de poder de marketing não são plausíveis à uma eleição convencional. Defendemos uma causa bíblica, espiritual, onde essas armas não podem prevalecer. Precisamos resgatar os principios bíblicos do Concilio de Jerusalém em ATOS 15, com oração, jejum, e orientação do Espirito Santo. Só assim poderemos vencer os desafios que nos aguardam nos próximos anos até o retorno do Senhor. Que haja menos interesses pessoais, e mais pela causa do Reino; menos discussões por títulos, e mais por serviço; menos debates acalorados pelos cargos, e mais responsabilidades pelos encargos; menos a busca pelo prestigio e mais busca da glória do Senhor.
Em Cristo Jesus
Marcos Daniel - Marataizes -ES

Dc.Lameck Galvão disse...

O que não entendo é que o povo fala mal da CGADB e seus lideres e ainda continuam fazendo parte. Ealgumas igrejas ainda colocam na frente do nome da nova denominação o nome Assembléia de Deus. Eu faço parte de uma delas e cometei isso no meu blog. http://lameckgalvao.blogspot.com

IN PECTORE disse...

Preclaro Pastor,
Graças a Deus por sua apurada intervenção. Penso todavia que um bom caminho para sanearmos as disputas em nosso meio é buscar compromissos dos nossos candidatos para com a Igreja. Sejam quais forem, devem expor a que chegam e o que pretendem desenvolver para o bem do corpo de Cristo.
Em meu blog, IN PECOTRE, escrevi sobre algumas porposições quu julgo em muito contribuirão para o bem da Igreja, enaltecendo o Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Que a Paz do Nosso Senhor seja com o meu Irmão.
Antonio Ferreira Filho

Anônimo disse...

Prezados,

Enquanto há uma guerra pelo poder, acho que nós como igreja estamos deixando de cumprir o nosso papel ao ponto de ver o mundo fazendo as obrigações da igreja.É triste ouvir esse tipo de comentário enquanto irmãos bem próximo de nós estão necessitados esperando, e muitos pastores só pensam em lucro de campo nem sequer se preocupam como estão vivendo os irmãos....falo pq é tanta fiscalização, porém, pra certos desvios muitos lideres se tornam cego.