quarta-feira, 7 de maio de 2008

O Serviço Cristão - Subsídios para a lição bíblica (02)


Continuação...

2. O QUE É O SERVIÇO CRISTÃO

"Servi ao Senhor com alegria" (Salmo 100.2a)

- No Antigo Testamento, os termos hebraicos para "servir" são shãrat e 'ãbad.

O termo Shãrat, segundo Vine (2003, p. 294) "denota muitas vezes o 'serviço' feito em relação à adoração de Israel a Deus". São exemplos de seus uso neste sentido os seguintes textos:

a) 1 Sm 2.11; 3.1 - Relacionado ao serviço prestado por Samuel
b) Dt 8.10 - A separação da tribo de Levi para servir ao Senhor
c) Êx 29.30 - A separação de Arão e seus filhos para ministrarem como sacerdotes

O termo 'abad, é usado no sentido servir a Deus, por exemplo, em:

a) Êx 3.12 -"Servireis a Deus neste monte".
b) Dt 6.13 - "O Senhor, teu Deus, temerás, e a ele servirás"
c) Nm 8.11 - "E Arão moverá os levitas por oferta de movimento perante o Senhor [...] para servirem no ministério do Senhor".

Nos casos citados, servir envolve adoração e trabalho.

- No Novo Testamento, são utilizados para "servir" os termos:

a) diakoneõ - ministrar, prestar qualquer tipo de serviço (Lc 10.40; 12.37; 17.8; 22.26; 22.27)
b) douleuõ - em relação ao serviço a Deus, esse termo é usado em (Mt 6.24)
c) latruõ - significa "adorar" e "servir" (Mt 4.10; At 7.7; 24.14; Rm 1.9; 2 Tm 1.3; Ap 22.3)
d) hipereteõ - literalmente, fazer o serviço de um remador (At 20.34), ou seja, trabalhar evitando qualquer pose de superioridade, transferindo toda honra e glória para o Senhor Jesus.

Percebe-se dessa forma que "servir", embora envolva o ato de adorar, não é uma postura meramente contemplativa. Servir é agir, trabalhar de forma amorosa e sacrificial, objetivando o crescimento do Reino de Deus, para a glória de Deus.

3 . O SERVIÇO CRISTÃO E A TEOLOGIA

No primeiro ponto da lição, especificamente no conceito teológico, afirma-se que o Serviço Cristão é a teologia em ação. Pelo menos deveria ser. O que acontece, conforme já escrevemos, é que o fazer teológico está sendo distorcido por muitos. Observemos alguns exemplos:

a) Modismo – Os que manifestam este sintoma dizem: “Conheço muita gente que está estudando, por isso vou estudar também”. Ser teólogo aqui é ser chic, além de melhorar o status.


b) Academicismo – “Com o bacharelado em teologia estarei no mesmo nível dos universitários e acadêmicos lá da igreja”. A Teologia é enxergada por este grupo como apenas mais um detalhe em seu currículo. Conheço gente que só estudou teologia para conquistar uma melhora salarial na empresa ou repartição pública onde trabalha.

c) Idealismo – Os idealistas são aqueles teólogos que vivem discutindo sobre temas que nunca levarão a lugar algum, temas que não edificam. Querem saber se Adão tinha umbigo, quem era a mulher de Caim, qual era o espinho na carne de Paulo, onde fica o inferno, a verdadeira origem do mal, etc., etc., etc.... Discutem tanto, pesquisam tanto, pensam tanto que não sobra tempo para mais nada. São improdutivos e infrutíferos na obra de Deus.

d) Criticismo - “Vou estudar teologia só para corrigir os erros de pregação (estilo, conteúdo, vocabulário, gestos) dos obreiros da igreja”. Tal postura se resume numa só palavra “mediocridade”. Os criticistas acabam procurando tanto os erros alheios que esquecem dos seus. Perdem com isto tempo, bênçãos, amigos, e se não tiverem cuidado, poderão perder a própria salvação.

e) Tradicionalismo – “Se não estudar teologia não poderei ser pastor na minha denominação”. Uma coisa profundamente angustiante, para não dizer torturante, é fazer um curso, estudar algo sem prazer. O curso de teologia não deve ser enxergado como mero trampolim para cargos eclesiásticos, ele deve antes, ter o seu valor percebido, e a cada momento ser saboreado.

f)) Mercantilismo - Alguns "empresários da fé" estão querendo (alguns já conseguindo) tirar proveito da situação para faturar uma graninha extra. Como acontece hoje no meio secular, a educação virou produto do "mercado", négocio rentável no universo capitalista. Estava certa vez num culto, quando um "pregador, teólogo e empresário" ao final, distribuiu alguns panfletos que me chamaram a atenção pelo seguinte anúncio: "Em nossa escola teológica você aprende de verdade!", e aí fiquei me perguntando, e nas outras?

Muitos teólogos, tornaram-se meros idealistas, sujeitos frios, céticos, heréticos, meros reprodutores de dogmas, teóricos improdutivos. Perderam o rumo de sua vocação.
Como bem escreveu Stuart (2008, p. 11) "a teologia não aplicada à vida do povo de Deus é estéril".

A teologia só tem o seu valor quando nos habilita e nos conduz ao Serviço Cristão.

A educação cristã envolve a transformação do saber, do ser e do fazer.

Continua...

Nenhum comentário: