segunda-feira, 26 de maio de 2008

MODISMOS MODERNOS - GERAÇÃO DE APAIXONADOS


“E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências”
(Gálatas 5.24)


Muitos cantores e grupos evangélicos (pregadores também) estão dando uma ênfase indevida para a "paixão".

O QUE É PAIXÃO?

“Do latim passione, sentimento excessivo; amor ardente; afeto violento; entusiasmo.”

“Palavra de origem Grega derivada de paschein, padecer uma determinada ação ou efeito de algum evento. É algo que acontece à pessoa independente de sua vontade ou mesmo contra ela. De paschein deriva pathos e patologia. Pathos designa tanto emoção como sofrimento e doença. As paixões, entendidas como emoções, mobilizam a pessoa impondo-se à sua vontade e à sua razão.

Paixão é patologia do amor.


Alguns cientistas a descrevem como uma descarga bioquímica que transporta no interior de nosso ser um misto de adrenalina e outras substâncias secretas, que produzem uma certa confusão emocional.”

CARACTERÍSTICAS DA PAIXÃO

A paixão, ao contrário do amor, dura intensamente por um tempo muito curto.

O amor autêntico é altruísta, dirige-se à outra pessoa, não busca os seus próprios interesses. A paixão é simplesmente uma satisfação egoísta.

O que fica nos relacionamentos e nas realizações fundamentados na paixão, quando esta se acaba? Nada de bom, é a resposta.

A PAIXÃO NA BÍBLIA

Sempre que a palavra “paixão” aparece na Bíblia, percebe-se nela um sentido negativo. Por exemplo:

Paixões Infames (Rm 1.26)
Paixão Lasciva (Cl 3.5)
Paixões da Mocidade (2 Tm 2.22)
Paixões Mundanas (Tt 2.12)
Paixões na Ignorância (1 Pe 1.14)
Paixões Corruptoras (2 Pe 1.4)
Paixões Ímpias (Jd 18)

QUAL SENTIMENTO O SENHOR JESUS DESEJA VER EM NÓS?

Quando Jesus esteve com Pedro após sua ressurreição, junto ao mar de Tiberíades, não perguntou se o mesmo estava apaixonado por Ele. "Amas-me" (gr. agapas me)? Foi a pergunta feita pelo Senhor. (João 21.15-17).

Jesus sabe que o amor é a mola propulsora para uma vida de santidade, renúncia, altruísmo, obediência e serviço.

CONCLUSÃO

Não é uma geração de "apaixonados" que Deus deseja, mas sim, de "compromissados" com Ele e com a sua palavra. Uma geração que simplesmente lhe devote amor, que esteja disposta a negar-se a si mesmo, tomar a cruz e seguí-lo.


Você ama Jesus?

6 comentários:

Silvio Araujo disse...

Postagem concisa e precisa! Onde assino?

Elisomar disse...

Amor x paixão

Mesmo parecendo irmãos
têm origem diferente,
mas numa coisa são iguais,
atinge toda gente. Fortalece
uns, a outros deixa impotente.

A paixão é fogo destruidor,
enquanto não passa, tem
estranho sabor. A intensidade
do prazer, é a mesma da dor.
Nunca fere sem deixar cicatriz
e a vida,coitada,escapa por um
triz.

A paixão faz com pressa, mesmo
que haja imperfeição.
O amor é paciente, e faz uso
da razão.

A paixão é egoista, não se
importa com ninguém. O amor
compartilha, pra todos pensa
o bem.

Mas é duro partilhar, alguém
que a gente quer bem. Mas se
se amor tem dessas coisas,
coisas que a paixão não tem,
paciência...a gente pega outro
trem.

Eu,

Elisomar disse...

Não sou dada a ódios nem a paixões,
mas confesso que quando me aconteceram, abriram feridas e deixara cicatrizes, que nem o laser conseguiu apapar.

Victor Leonardo Barbosa disse...

boa postagem pastor Altair, todavia creio quie é importante distinguir entre os leitores sobre paixão e sentimento(muitos se confundem nessa área).

Os sentimentos fazem parte da alma humana e Jesus mesmo demonstrou muitos sentimentos. O grande problema é o sentimento densenfreado que muitos possuem, onde menospreza-se a razão a favor de sentimentos desordenados.

Eliseu Antonio Gomes disse...

Pastor Altair

Eu entendo que em alguns casos em que encontramos o termo "paixão" é necessário fazer a devida contextualização do que significa seu uso. Percebo que muitos usam o termo hoje em dia (principalmente em letras de hinos) com o sentido de "primeiro amor" (a alegria que invade e impulsiona os primeiros passos de quem se converteu a Cristo e passa a conhecer quão boa é a Pessoa de Jesus em nosso viver). Neste caso "paixão" é uma licença poética para expressar esse momento, manifestar adoração ao Senhor. Alguns casos usa-se até o livro Cântico dos Cânticos.

De fato a paixão simples, humana, sem Cristo, cega seu portador, e é um grande pecado. E, infelizmente, está MUITO MAIS ACIMA dos modismos, pois é o mesmo que os piores tipos de fanatismo que ultrapassa gerações e gerações. Todo fanático é apaixonado por alguém, alguma coisa ou causa.

Já sofri por estar em oposição aos apaixonados / fanáticos, passei por perseguição e até ameaça de processo.

De todos os fanáticos / apaixonados, os piores são os religiosos. Pecam de muitas maneiras para defender o alvo da sua paixão, que é a instituição onde pensam que estão cultuando a Deus de maneira agradável.

Eles são os apaixonados pelas placas denominacionais... Por elas os tais se esquecem até do mandamento de Jesus (ame seu inimigo!).

Não que eu tenha sido inimigo de alguns deles, mas por amor a Cristo somos tidos como inimigos deles, sim... E os fanáticos (apaixonados) seguem o princípio de que os fins justificam os meios. Para prevalecer em debates e "guerrinhas prosélitas" mentem, e criam mil confusões tentando colocar pedras em nossos caminhos.

Presenciei um caso triste de um jovem. Ele se converteu junto comigo. Demorou para amadurecer na fé. Trabalhamos juntos algum tempo numa empresa. Ele abandonava seu posto de serviço em pleno horário de expediênte, saía com a Bíblia aberta nas mãos pelas seções bradando aos colegas não-crentes e de outras denominações evangélicas assim: "arrependei-vos ou irão arder no fogo do inferno" . De nada adiantou eu aconselhar, pastores e presbíteros aconselharem a parar com aquilo... Ele continuou com isso por mais de seis meses e foi demitido. Por tabela, manchou o nome do presbítero, mais de 30 anos empregado ali, que o havia indicado ao emprego.

Eu amo Jesus, sempre peço para que esteja renovado dentro de mim o "primeiro amor" (paixão?). E essa renovação me obriga amar meu próximo como a mim mesmo e a Deus acima de tudo.

Não é fácil viver esse amor renovado, pois encontramos muitos fanáticos religiosos na caminhada cristã. Eles são em maior número do que os pecadores longe das religiões!

O caso do jovem que mencionei foi algo simples de resolver... O discipulado que recebeu e a queda do fervor (paixão/primeiro amor) na vida dele acalmaram seu ânimo e aprimoraram seu método de evangelização. Os casos que eu reputo como complicados são os apaixonados religiosos, que fazem da religião um mero meio social e até profissional, sem nenhum apego aos mandamentos de Cristo.

O cristão verdadeiro combate idéias e nunca pessoas!

Abraço, na paz do Senhor

Eliseu A. Gomes
http://belverede.blogspot.com/

Pr. André disse...

Postagem maravilhosa, simples e precisa!Precisamos informar a muitos a respeito de tais erros que estamos vivenciando com esses "avivamentos estravagantes", mutilando o que é mais simples e verdadeiro para igreja, porém levando-a ao modismo mentiroso com suas inovações insanas, desprezando o verdadeiro conceito bíblico da palavra de DEUS.
Obrigado mais uma vez! Os Santos agradecem o que o Espírito Santo diz a Igreja, e feliz os que ouvem.

Pr. André L. Poggianella /MG.
www.atalaiasdedeus.blogspot.com