sábado, 26 de abril de 2008

A Sublimidade do Culto Cristão (01)- Subsídio para lição bíblica



1.INTRODUÇÃO


O culto é uma das mais belas e antigas formas do homem expressar sua devoção, gratidão e adoração a Deus.


A Bíblia é o maior manual litúrgico em circulação, sendo ela inspirada por aquele a quem devemos toda honra, glória e louvor. É nela que encontramos o princípio regulador do culto cristão do culto cristão.

A falta de conhecimento destas fundamentações, aliada ao descaso ou desinteresse quanto ao desenvolvimento histórico e litúrgico do culto, tem conduzido cristãos e igrejas, a se privarem de todas as bençãos e privilégios deste tão solene ato, como também, ao desvio da simplicidade, verdade e espiritualidade, que sempre marcaram esta prática cristã. Em muitos lugares, a formalidade, desordem e irreverência, tem transformado o culto num mero encontro de pessoas, quando deveria antes, ser um encontro de pessoas com Deus.


É nosso desejo, que esta abordagem contribua não somente para promover conhecimento bíblico e histórico, mas acima de tudo, uma reflexão que venha nos conduzir à uma conscientização, transformação, e renovação na forma de conduzirmos e participarmos do culto cristão.


2. ANÁLISE ETMOLÓGICA E DEFINIÇÃO DE CULTO


A palavra “culto”, deriva-se dos seguintes termos:


· ‘abida – Termo hebraico que originalmente significava trabalho, ritual, adoração. Os usos dessa palavra em Esdras se referem ao trabalho feito na reconstrução do templo em Jerusalém (Ed 4.24; 5.8; 6.7),bem como as atividades em geral de sacerdotes e levitas, as quais, em associação com o ritual e a adoração espiritual (Ed 6.18), constituem serviço a Deus (Ex 3.12; Dt 6.13; 11.13; Sl 100.2).


· Latreia – Substantivo grego, usado nas diversas situações de um trabalho ou serviço assalariado. Posteriormente foi incorporado à prática cristã de cultuar, ou seja, prestar um serviço a Deus, adorá-lo (Mt 4.10; Rm 12.1).


· Proskunein – Termo grego que no AT significava “curvar-se”, tanto para homenagear homens importantes e autoridades (Gn 27.29; 37.7-10; I Sm 25.23),como para adorar a Deus (Gn 24.52; 2 Cr 7.3; Sl 95.6).No NT denota exclusivamente a adoração que se dirige a Deus (At 10.15-26; Ap 19.10; 22.8-9).


· Leitourgia – A palavra é originária do grego. Literalmente, significa serviço público (leitos=público, Ergon=trabalho). Conforme Claudionor Corrêa (Manual da Harpa Cristã, p. 19), “na Antiga Grécia, o termo era usado para designar uma função administrativa num órgão governamental. Desde sua origem, por conseguinte, a liturgia tem uma forte conotação com o serviço que os súditos devem prestar ao rei. O termo passou, com o tempo, a designar o culto público e oficial da Igreja Cristã. Hoje, é definido como a forma pela qual um ato de adoração é conduzido”.


· Cultus – Termo latin, que significa a tributação voluntária de louvor e honra ao criador.


Dessa forma, o culto cristão poder ser definido como:


Um serviço devido a Deus, que se expressa em todos os atos da existência humana (Jo 4.19-24; I Co 10.31), ou ainda, o ajuntamento solene da Igreja, com fins de adorar a Deus, mediante a liturgia, associada aos elementos comuns de cada cultura popular ou denominacional.


3. FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA DO CULTO CRISTÃO


A Bíblia é nosso manual de fé e conduta. É nela que o culto cristão se fundamenta.

O Culto no Antigo Testamento

- No Lar (família) : Gn 4.1-5; 26; 8.18-21; 13.1-4; Ex 12.1-21; Dt 6.4-9; 11.18-21).
- No Tabernáculo : Ex 25-40
- No Templo : 2Sm 7.1-17; I Rs 6-8


O Culto no Novo Testamento

- Nas Casas (At 2.46b; 16.40; 20.20; Rm 16.5; I Co 16.19; Cl 4.15, etc.)
- Nos pátios (At 2.46b)
- Às margens de rios (At 16.12-15)
- Nas prisões (At 16.25)
- Uma questão de atitude de coração (Jo 4.20-24; Mt 18.20)



Continua...

Nenhum comentário: