domingo, 13 de abril de 2008

PRINCÍPIOS BÍBLICOS PARA LIDERANÇA E ADMINISTRAÇÃO ECLESIÁSTICA

IMAGEM: MARTORELLI DANTAS

Frustração. Esta palavra resume o sentimento daqueles que pressionados a aumentar o número de membros da comunidade cristã e desenvolver programas, sentem-se posteriormente incapazes de liderá-la.

A falta de preparo específico para administrar uma igreja em expansão, é a causa maior desta frustração. O preparo da maioria de nossos líderes, geralmente treinados em seminários teológicos, limita-se a prática da pregação, conhecimentos de doutrinas, exegese bíblica, história e línguas originais.

Apesar dos benefícios destas disciplinas, que ajuda o indivíduo a transmitir ensinos doutrinários corretos, fica uma lacuna no preparo para a administração.

A necessidade de líderes mais preparados para administrar com eficiência e eficácia as instituições que o Senhor levantou, é a tônica do momento.

Para tal propósito, um treinamento fundamentado numa filosofia meramente secular não é o suficiente, devido o caráter materialista e humanista da mesma. O uso da autoridade e o poder, associados a uma prática manipuladora e controladora, são as bases dessa filosofia.

Segundo a Bíblia

Então, se chegou a ele a mulher de Zebedeu, com seus filhos, e, adorando-o, pediu-lhe um favor. Perguntou-lhe ele: Que queres? Ela respondeu: Manda que, no teu reino, estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita, e o outro à tua esquerda. Mas Jesus respondeu: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu estou para beber? Responderam-lhe: Podemos. Então, lhes disse: Bebereis o meu cálice; mas o assentar-se à minha direita e à minha esquerda não me compete concedê-lo; é, porém, para aqueles a quem está preparado por meu Pai. Ora, ouvindo isto os dez, indignaram-se contra os dois irmãos. Então, Jesus, chamando-os, disse: Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridade sobre eles. Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo; tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. (Mateus 20:20-28)

O líder cristão aprende com Jesus a servir os seus liderados, ajudando-os a alcançar e a realizar o potencial máximo deles. Quanto mais elevado o cargo ou posição eclesiástica, mas servo se tornar o líder cristão.

Um claro exemplo de liderança opressora e mundana é Roboão. Diante de uma possível crise, decorrente da cobrança de uma carga tributária altíssima, o rei resolve buscar conselho com os anciãos que serviram a seu pai

Foi Roboão a Siquém, porque todo o Israel se reuniu lá, para o fazer rei. Tendo Jeroboão, filho de Nebate, ouvido isso (pois estava ainda no Egito, para onde fugira da presença do rei Salomão, onde habitava e donde o mandaram chamar), veio com toda a congregação de Israel a Roboão, e lhe falaram: Teu pai fez pesado o nosso jugo; agora, pois, alivia tu a dura servidão de teu pai e o seu pesado jugo que nos impôs, e nós te serviremos. Ele lhes respondeu: Ide-vos e, após três dias, voltai a mim. E o povo se foi. Tomou o rei Roboão conselho com os homens idosos que estiveram na presença de Salomão, seu pai, quando este ainda vivia, dizendo: Como aconselhais que se responda a este povo? Eles lhe disseram: Se, hoje, te tornares servo deste povo, e o servires, e, atendendo, falares boas palavras, eles se farão teus servos para sempre.
(1 Reis 12:1-7)

Porém o trágico aconteceu, Roboão não deu ouvidos aos anciãos

Porém ele desprezou o conselho que os anciãos lhe tinham dado e tomou conselho com os jovens que haviam crescido com ele e o serviam. E disse-lhes: Que aconselhais vós que respondamos a este povo que me falou, dizendo: Alivia o jugo que teu pai nos impôs? E os jovens que haviam crescido com ele lhe disseram: Assim falarás a este povo que disse: Teu pai fez pesado o nosso jugo, mas tu alivia-o de sobre nós; assim lhe falarás: Meu dedo mínimo é mais grosso do que os lombos de meu pai. Assim que, se meu pai vos impôs jugo pesado, eu ainda vo-lo aumentarei; meu pai vos castigou com açoites, porém eu vos castigarei com escorpiões. (1 Reis 12:8-11)

As conseqüências deste ato foram gravíssimas. A nação se revoltou contra Roboão, que acabou perdendo o apoio da maioria do povo. Saber ouvir e aprender a servir são indispensáveis na vida de qualquer líder.

O que é necessário para uma empresa ou organização ser bem sucedida? Qual o perfil do administrador cristão do século XXI. As respostas serão as mais variadas possíveis e talvez bastante interessantes. É na Bíblia que vamos identificar os elementos-chave para o sucesso na administração. O desenvolvimento e êxito de uma instituição cristã podem ser construídos, segundo Rush (2005, p. 15), a partir da observação de quatro princípios extraídos do texto bíblico de Gênesis 11:1-9

Ora, em toda a terra havia apenas uma linguagem e uma só maneira de falar. Sucedeu que, partindo eles do Oriente, deram com uma planície na terra de Sinar; e habitaram ali. E disseram uns aos outros: Vinde, façamos tijolos e queimemo-los bem. Os tijolos serviram-lhes de pedra, e o betume, de argamassa. Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra. Então, desceu o SENHOR para ver a cidade e a torre, que os filhos dos homens edificavam; e o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm a mesma linguagem. Isto é apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentam fazer. Vinde, desçamos e confundamos ali a sua linguagem, para que um não entenda a linguagem de outro. Destarte, o SENHOR os dispersou dali pela superfície da terra; e cessaram de edificar a cidade. Chamou-se-lhe, por isso, o nome de Babel, porque ali confundiu o SENHOR a linguagem de toda a terra e dali o SENHOR os dispersou por toda a superfície dela.

Os princípios são os seguintes:

- O trabalho em torno de um só objetivo (v. 3, 4)
- Unidade entre as pessoas envolvidas (v. 6)
- Um sistema eficaz de comunicação (v. 1, 6)
- Agir segundo a vontade de Deus (v. 7-9), fato este que não foi observado neste episódio.

A observação destes princípios resultará numa única frase: sucesso para a glória de Deus!

REFERÊNCIAS

CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos novos tempos. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

RUSH, Myron. Administração uma abordagem bíblica: como liderar pessoas e administrar organizações usando princípios bíblicos imutáveis. Belo Horizonte: Betânia, 2005.

http://www.bibliaonline.net/ . acesso em 13/04/2008 às 12h00

4 comentários:

Sóstenis disse...

Pastor Altair, gostaria de chamar sua atenção para o fato de o senhor não ter mudado ainda a imagem [acréscimo de autoria] do livro da história da Igreja em Abreu e Lima, na postagem do dia 02 de abril, como já fez na página principal do Blog. Pode ser que gere incompreensões.
Atenciosamente,
Sóstenis Moura
www.embaixadoressiao.blogspot.com

Elisomar disse...

Graça e Paz!
Pastor, se há uma coisa que me deixa encantada com algúem é a capacidade que ele tem de ouvir e servir. Porque isso já é característica nata de um líder. Os que se dizem líder e não se percebe essas qualidades, muito em breve perderá o posto.

José Rinaldo de Santana disse...

Graça e paz,Pastor Altair na verdade se os administradores de igrejas tivessem esses principios, seria muito bom, mas o que vemos na maioria das igreja, os pastores administradores, estão tendo a igreja como propriedade sua e isso tem levado muitas igrejas ao fracasso, tanto espiritual, como financeiro, deixando a evasão tomar conta das igrejas, por falta de uma maneira correta de liderança e administração

cornélio disse...

Graça e paz amado Pr.Altair e a todos os companheiros de ministério,tenho observado que são doi os motivos de deficiencia na liderança e o primeiro é o pior deles: VOCAÇÃO E PREPARAÇÃO, o bom lider em primeiro lugar tem que ser vocacionado isto é escolhido por Deus para tal ofício,depois sendo constatado a sua vocação é mister que este seja devidamente preparado para o bom desempenho de suas funções, obedecendo estes critérios o resultado com certeza será: DEUS RECEBENDO HONRAS E GLÓRIAS,REBANHO PRÓSPERO E FELIZ E MINISTROS PRÓSPEROS E FELIZES.