sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

MISSÕES NA ITÁLIA: NOSSO PRÓXIMO DESAFIO MINISTERIAL





Num sonho em que atravessava o atlântico e me deparava do outro lado com um bosque repleto de árvores e poucas pessoas cuidando das mesmas, ouvi a seguinte declaração: "Nós precisamos do senhor aqui para que as árvores não morram".

Sinto-me como o apóstolo Paulo, que diante de uma visão onde um varão macedônio lhe clamava por ajuda, teve que mudar a rota de sua jornada ministerial. O sonho foi apenas mais um elemento na construção e maturação de uma chamada missionária guardada em meu coração, apesar de diversas vezes manifesta publicamente por testemunhos proféticos de terceiros.

Estou abrindo mão da proximidade de parentes e amigos, do carinho e do respeito dos amados irmãos em Cristo aqui do Brasil, do companheirismo dos obreiros, de um ministério onde tenho tido a oportunidade de compartilhar em vários lugares nesse país o que o Senhor tem nos dado por meio da palavra escrita e falada, de posições eclesiais e institucionais honrosas. Sim, estou abrindo mão de tudo em obediência ao meu Senhor. Sei que onde eu estiver Ele estará comigo, me abençoando e operando na edificação de vidas, e para o louvor da sua glória!

Permitindo Deus seguirei para a Europa em 2015. Irei debaixo da bênção do Senhor, do meu pastor e da igreja onde sirvo, a Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE.

Até junho/2015, continuarei atendendo as agendas já firmadas, e algumas que estão em fase de confirmação.

Eu e a minha família contamos com as vossas orações e apoio.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

VENDEDORES DA PALAVRA

O magistério se tornara um fardo pesado para Agostinho de Hipona (354-430) diante da convicção que teve da chamada de Deus para a sua vida, o que lhe impulsionou a abrir mão de sua cátedra e consagrar-se ao serviço cristão. É nesse contexto que ele se auto intitula um vendedor da palavra, fazendo referência ao seu trabalho como professor acadêmico.

Nos dias atuais o caminho é inverso, quando muitos se tornam no ministério cristão vendedores da palavra, fazendo de sua vocação e chamado fonte de lucro (1 Tm 6.3-10).

É claro que o trabalhador é digno do seu salário (Lc 10.7; 1 Co 9.13-14; 1 Tm 5.17-18), mas este salário deve ser considerado como um ter consequencial, ou seja, não deve ser a motivação do ministério, vindo a substituir dessa maneira o nosso amor pelo servir naquilo para o qual fomos chamados.

Sejamos gratos pelo nosso digno sustento, e não nos tornemos vendedores da palavra. 

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

ESPIRITUALIDADE CIRCUNSTANCIAL E INSTABILIDADE EMOCIONAL NA LIDERANÇA CRISTÃ


Chegando os filhos de Israel, toda a congregação, ao deserto de Zim, no mês primeiro, o povo ficou em Cades. Ali, morreu Miriã e, ali, foi sepultada.

Não havia água para o povo; então, se ajuntaram contra Moisés e contra Arão.

E o povo contendeu com Moisés, e disseram: Antes tivéssemos perecido quando expiraram nossos irmãos perante o SENHOR!

Por que trouxestes a congregação do SENHOR a este deserto, para morrermos aí, nós e os nossos animais?

E por que nos fizestes subir do Egito, para nos trazer a este mau lugar, que não é de cereais, nem de figos, nem de vides, nem de romãs, nem de água para beber?

Então, Moisés e Arão se foram de diante do povo para a porta da tenda da congregação e se lançaram sobre o seu rosto; e a glória do SENHOR lhes apareceu.

Disse o SENHOR a Moisés:

Toma o bordão, ajunta o povo, tu e Arão, teu irmão, e, diante dele, falai à rocha, e dará a sua água; assim lhe tirareis água da rocha e dareis a beber à congregação e aos seus animais.

Então, Moisés tomou o bordão de diante do SENHOR, como lhe tinha ordenado.

Moisés e Arão reuniram o povo diante da rocha, e Moisés lhe disse: Ouvi, agora, rebeldes: porventura, faremos sair água desta rocha para vós outros?
Moisés levantou a mão e feriu a rocha duas vezes com o seu bordão, e saíram muitas águas; e bebeu a congregação e os seus animais.

Mas o SENHOR disse a Moisés e a Arão: Visto que não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso, não fareis entrar este povo na terra que lhe dei.

(Números 20.1-12, ARA)

Mas uma vez Moisés foi confrontado pelo povo, que duvidava de sua liderança espiritual. Os constantes embates, injustiças, pressões e incompreensões da liderança podem deixar o líder debaixo de um profundo estresse.

A atitude inicial de Moisés foi bem espiritual, ou seja, buscou a presença de Deus na porta da tenda da congregação e lhe apresentou a situação em oração, com o rosto em terra. Aumentando mais ainda a espiritualidade envolvida no episódio, testemunharam a manifestação da glória do Senhor e o ouvir da sua voz dando-lhes a devida direção a ser tomada.

Que momento maravilhoso! Em meio às angústias e labores da liderança espiritual, nada melhor do que a perceptiva presença do Senhor e o ouvir a sua voz. Tal experiência é revigorante, renovadora e fortalecedora. Diante de um momento como este o líder geralmente se enche de convicção da sua autoridade espiritual, e descansa na direção daquele que tudo sabe e pode.

Moisés saiu daquela atmosfera espiritual e caminhou em direção ao povo. Acontece que entre aquele momento de singular e extraordinária experiência espiritual na porta da tenda da congregação, até a chegada diante do povo, algo acontece no mais profundo do ser de Moisés, que alterar o seu humor, e que lhe deixa cativo de suas emoções.

O resultado é que ele acaba não seguindo as orientações de Deus, lhe desobedecendo radicalmente, e ainda culmina despejando toda a sua ira no povo e na pedra. O povo é ferido com palavras, a pedra é ferida com a vara, e Deus é ferido com a desobediência de Moisés. As emoções fora do controle geralmente se tornam armas que ferem todos e tudo que nos cercam, nos fazendo perder grandes oportunidades e bênçãos.

Quando as nossas emoções saem do domínio do Espírito, quando nos deixamos ser controlados por elas, acabamos por repetir o erro de Moisés.

Saímos do culto onde pregamos, oramos, glorificamos, adoramos, rimos, choramos e nos alegramos com a presença e diante da voz do Senhor, para logo no pátio da igreja, no trânsito ou ao chegarmos em casa despejarmos violentamente em alguém as nossas contrariedades emocionais em forma de gritos, xingamentos, humilhações e outras expressões grotescas.

Já pude testemunhar oscilações de uma atitude espiritual para a instabilidade emocional em pleno culto, onde dirigentes discutem com músicos, com crianças, com adolescentes, com jovens, com sonoplastas, etc., e tudo isso em meio a uma atmosfera espiritual.

Mais do que simplesmente experiências circunstanciais e momentos espirituais, precisamos viver no Espírito para a glória de Deus. Somente assim não nos inclinaremos para sentimentos e atitudes carnais que não agradam ao Pai (Rm 8.5-8).

É preciso ter cuidado com as emoções, pois elas podem nos causar muitos danos. Quem nunca foi traído por elas?

sábado, 29 de novembro de 2014

DICAS LITERÁRIAS NO CAMPO DOS COSTUMES, CULTURA E TEMPOS BÍBLICOS


1 - Instituições de Israel no Antigo Testamento - Editora Teológica
2 - Jerusalém no Tempo de Jesus - Academia Cristã/Paulus
3 - A Vida Diária nos tempos de Jesus - Vida Nova 
4 - Manual dos Tempos e Costumes Bíblicos - Editora Betânia 
5 - Jesus e as Estrutura do seu Tempo - Paulus 
6 - Jesus e a Sociedade de seu Tempo - Paulinas
7 - Tempos do Novo Testamento - CPAD
8 - Tempos do Antigo Testamento - CPAD
9 - A Neurose da Religião - Editora Hagnos 
10 - Bandidos, Profetas e Messias: movimentos populares no tempo de Jesus - Paulus

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

AGENDA PESSOAL


AGENDA - DEZEMBRO/2014

04 e 05 - Escola Bíblica em Santana do Parnaíba-PA 
06 - AGO da CIADSETA em Paraíso do Tocantins-TO 
08 – Santa Ceia do Templo Central da IEADALPE
10 – Palestras para Casais na IEADALPE em Ana de Albuquerque (Igarassu-PE)
13 – Reunião da Assembleia Ministerial e Presbitério da IEADALPE
14 – Culto Especial de Missões da IEADALPE no Estádio Ademir Cunha (Paulista-PE)
20 - Colação de Grau da ETEADALPE no Templo Central da IEADALPE
21 – Batismo em Águas no Templo Central da IEADALPE
25 – Culto Especial de Natal da IEADALPE em Abreu e Lima-PE
26 a 28 - Encontro Pedagógico da EBD em Juazeiro-BA

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

CONFERÊNCIA TEOLÓGICA DA ETEADALPE/SBB EMPOLGA OS PARTICIPANTES





Realizada nos dias 09 e 10/11, a Conferência Teológica da ETEADALPE/SBB empolgou os participantes, que estiveram atento às palestras do Dr. Vilson Scholz, especialista em NT, doutor em Teologia, professor de grego, hermenêutica e exegese do NT, e consultor de tradução em treinamento da Sociedade Bíblica do Brasil. O tema central foi a "Tradução do NT e os seus Desafios". 

Em sua primeira palestra o Dr. Vilson Scholz tratou do desenvolvimento do texto do NT, destacando os problemas relacionados aos aspectos textuais e culturais no processo de tradução.

Na segunda palestra foi dada ênfase às variantes textuais e às principais diferenças entre o NT da Almeida Revista e Corrigida e da Almeida Revista Atualizada, onde um histórico da origem e desenvolvimento das duas versões foi apresentado.

O pastor Roberto José, presidente da IEADALPE/COMADALPE, parabenizou a iniciativa da direção da ETEADALPE pela realização do evento, destacando sua importância para o crescimento de quem milita com o ensino das Sagradas Escrituras, e agradeceu a cooperação e parceria da Sociedade Bíblica do Brasil.

Permitindo Deus, estaremos trabalhando para que a próxima conferência, em 2015, continue atendo as expectativas do público alvo.