sexta-feira, 2 de setembro de 2016

ASSEMBLEA DI DIO FIRENZE (MISSÃO ABREU E LIMA-PE)





A partir desta semana, você que reside ou está de passagem por Firenze (Florença) poderá cultuar conosco aos domingos na Assemblea di Dio (Missão Abreu e Lima-PE), às 20h00, na Via dei Biffi 1, Centro.

Até lá, se Deus quiser!

MISSÕES: REVENDO O ORÇAMENTO


No campo missionário temos uma percepção maior do quanto algumas (ou muitas) igrejas no Brasil desperdiçam seus recursos financeiros com obras e aquisições desnecessárias, e com reformas luxuosas em templos que nunca se acabam. A justificativa? Deus merece o melhor. Mas será que é esse o melhor que Deus quer? Penso que não. As necessidades espirituais e materiais das pessoas serão sempre prioritárias para Ele.

Na tentativa de aliviar ou burlar a consciência, de vez em quando um tímido gesto de misericórdia é feito, seguido de um grande culto ao próprio ego, da propaganda do ato em todas as mídias, e daquela falsa sensação de extrema generosidade e caridade.

O pior, é que alguns missionários aqui no campo já começam a imitar e reproduzir esse modelo medieval e coisificado de ser e fazer igreja.

Qual é o orçamento da igreja para investir em vidas? 

Qual é o orçamento para investir em evangelização, missões e socorro?


Qual é o orçamento?

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Sobre Cartas Fictícias para Pastores Pentecostais que se Tornaram Calvinistas

Que ninguém se iluda com cartas fictícias direcionadas a pastores pentecostais que se tornaram calvinistas.

Meu conselho a qualquer pastor assembleiano que abraçou a teologia calvinista é que seja honesto em assumi-la publicamente, como alguns já tem feito. Fazendo assim você será honesto com seus irmãos em Cristo e consigo mesmo.


Outros não assumiram ainda o seu calvinismo porque são dependentes de cargos e posições, do dinheiro que recebem por exercerem funções na igreja, ou por medo de perderem agendas e vendas de livros publicados pela editora oficial.

De fato a doutrina calvinista é em muitos aspectos incompatível com a doutrina bíblica adotada pelas Assembleias de Deus no Brasil.

Não perca tempo tentando calvinizar as Assembleias de Deus. Digo calvinizar pois o calvinismo não representa toda Reforma, apesar de presunçosamente tentar passar tal ideia.

Afirmo que nem com os deslizes da editora oficial, e com as suas práticas comerciais desprovidas de coerência com o seu compromisso institucional, o calvinismo com os seus absurdos doutrinários, contradições e erros bíblicos grotescos será abraçado como doutrina nas Assembleias de Deus no Brasil.

Penso ainda que provavelmente um grupo pentecostal-calvinista se levantará no Brasil fora das Assembleias de Deus e das Igrejas Presbiterianas, pois em sua carta fictícia, diz o teólogo calvinista que o recebimento de pastores pentecostais calvinistas entre os "reformados" é ainda um caso a se pensar e decidir. Tal cuidado é óbvio, principalmente partindo de quem zomba dos dons espirituais fazendo piadas dos mesmos em suas conferências, palestras e outros eventos.

Por fim, a previsão do teólogo calvinista em sua carta fictícia sobre "reformar" o Pentecostalismo Clássico no Brasil deve ficar somente na ficção e em seu desejo utópico.

domingo, 24 de julho de 2016

Missões no poder e na direção do Espírito Santo - Artigo Teologia Brasileira


Acesse o artigo AQUI

EU TAMBÉM ORO PELA CPAD


Oro para que o que foi construído ao longo dos anos não se perca em nome de crescimento, vendas e faturamento.

Oro para que a sua missão confessional, apologética, educativa e evangelística se fortaleça.

Oro para que valorize mais os autores nacionais, e que abra mais espaço para os novos talentos.

Oro por seus escritores, por todos aqueles que continuam comprometidos com a sã doutrina.

Oro por seu diretor, gerentes e funcionários para que continuem cumprindo com fidelidade a Deus a grande missão lhes confiada.

Oro para que permaneça como parte, e regimentalmente debaixo da orientação de outros órgãos institucionais.

Oro para que tenha a humildade de reconhecer as suas falhas e corrigir os erros.

Oro para que o labor de todas as gerações passadas seja considerado.
Oro para que as grandes decisões, presentes e futuras, que dizem respeito ao seu destino possam ser amplamente discutidas e decididas em todas as instâncias competentes.

Oro para que a Casa continue sendo nossa, e comprometida exclusivamente com os fundamentos da sã doutrina.

Oro para que resista e feche as suas portas para os modismos doutrinários, e para toda a sorte de herança teológica ou tradição que seja incompatível com a verdade das Sagradas Escrituras.

Sim, oremos todos nós pelas reais, visíveis e urgentes necessidades da nossa CPAD.

sábado, 23 de julho de 2016

SOBRE OFENSAS E RETRATAÇÕES: BUSCANDO UNIDADE E PAZ NA DIVERSIDADE EVANGÉLICA BRASILEIRA



Enquanto pessoas e instituições, passivos que somos de cometermos erros, devemos sempre nos retratar por nossos desrespeitos e ofensas para com aqueles que não pensam teologicamente como nós, e por nossas falhas institucionais que acabam provocando constrangimentos e dissabores.

Já tive a oportunidade de fazer um curso num seminário presbiteriano, e de até pregar numa igreja presbiteriana, e isso sob a devida autorização do seu presbitério local. Gozei de tal confiança, dentre outras razões, pelo fato de não expor ao ridículo a fé calvinista. Podemos discordar em questões doutrinárias, mas sem perder o devido respeito. 

Tal postura, penso eu, sempre contribuirá para a tão desejada unidade e paz na diversidade evangélica brasileira. É possível pensar diferente e ao mesmo tempo respeitosamente.

Sim, um erro não justifica o outro. Aprendamos com os erros, todos nós, e nos perdoemos em tudo, pois afinal, ninguém é perfeito.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Um Alerta para Líderes, Membros e Congregados das Assembleias de Deus no Brasil


Já há algum tempo a CPAD, editora oficial da denominação, vem se afastando de sua missão confessional de contribuir com material inteiramente confiável para promover e preservar a sã doutrina. Em alguns dos livros que trazem o seu selo editorial encontramos autores e conteúdos com teologias que não são compatíveis com aquilo que cremos e que herdamos historicamente dos nossos pioneiros.
Durante os dez anos em que ocupei o cargo de Superintendente Geral das Escolas Bíblicas dominicais na Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE, detectei inúmeras vezes contradições doutrinárias e outros erros nas Lições Bíblicas, onde tive que alertar dirigentes e professores, e em algumas ocasiões comunicando também ao setor responsável da Casa os fatos, sem que uma só vez uma errata fosse publicada em seus periódicos nos casos que informei. Atualmente os mesmos erros e falhas continuam.
Sob o argumento de ampliar sua atual “vocação”, e priorizando o aspecto comercial em detrimento do confessional, a CPAD agora, além dos livros de outras editoras, abre também as portas de suas lojas para autores com convicções teológicas e doutrinárias conflitantes com as da denominação, como o calvinismo, o universalismo e outras.
Diante dos fatos, enquanto não sabemos que decisão será tomada no âmbito interno da instituição, fica aqui o alerta para que os líderes, membros e congregados das Assembleias de Deus no Brasil examinem com bastante cuidado o material publicado pela própria CPAD (livros e lições bíblicas), e o exposto em suas lojas oriundos de outras editoras.
Respeitarei qualquer que seja a decisão interna quanto aos rumos da Casa, mas não poderia deixar de fazer este alerta, pois sabemos que muitos assembleianos estão expostos ao risco de absolver por meio da editora oficial e de suas lojas, ensinos que não se sustentam à luz das Sagradas Escrituras.
Oremos por aqueles que fazem a nossa CPAD, e continuemos a ensinar a sã doutrina ao rebanho que o Senhor nos confiou.
Pr. Altair Germano
Itália, 22/07/2016


quinta-feira, 21 de julho de 2016

SOBRE A NOVA NOTA DA CPAD



É pertinente o pedido de desculpas e a reafirmação como editora oficial das Assembleias de Deus no Brasil, compromisso este quebrado pela própria direção da CPAD. Quanto ao abrir as portas da megastore para a teologia calvinista, neopentecostal, universalista, liberal e outras, sob o argumento de parceria com editoras congêneres, no âmbito institucional vamos discutir a questão. A megastore também pertence as Assembleias de Deus no Brasil, pois é extensão da editora.

Se o atual presidente do conselho administrativo da Casa concorda com isso, ao mesmo tempo em que manifesta o desejo de ser o futuro presidente da CGADB, pode ter certeza que tal postura não será bem vista internamente e será repudiada por aqueles que compreendem os riscos que a atual abertura à doutrinas não compatíveis com a sã doutrina produz. 

Há muitos pastores desinformados dos fatos mas já estamos tratando disso. Se for necessário irei ao plenário com publicações em mãos da própria CPAD, onde além de conteúdo doutrinário estranho, temos claras heresias.

O calvinismo, o neopentecostalismo, o universalismo e o liberalismo teológico podem um dia até encontrar plena guarida em nossa editora e livrarias (pois de certa forma já encontraram), mas que vamos continuar combatendo isso, podem ter certeza que vamos.

Ao atual diretor executivo da CPAD faço um apelo, não macule ou comprometa o brilhante trabalho que realizou por anos no cargo de confiança recebido. Não se dobre aos interesses comerciais em detrimento da saúde doutrinária da centenária Assembleia de Deus. Continue edificando sobre os fundamentos antigos dos seus antecessores.

Oremos e militemos por dias melhores em nossa instituição.

terça-feira, 19 de julho de 2016

CPAD: INCOERÊNCIA INSTITUCIONAL


O Carro na Frente dos Bois
"A CPAD Megastore continuará abrindo as suas portas para eventos de lançamento das editoras e gravadoras, cumprindo sua vocação de se tornar um espaço cultural para a igreja evangélica no Brasil." (Conforme nota abaixo)
Com a autorização de quem a CPAD deixou de ser editora oficial com seu compromisso denominacional e se tornou "vocacionada" para ser espaço cultural dos evangélicos? Isso poderia ou pode acontecer? Sim. Mas a questão é:
1 - A direção da CPAD pode tomar essa decisão sem considerar seu Conselho Administrativo, cujo presidente é pré-candidato ao cargo de Presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB)?
2 - A Mesa Diretora da CGADB aprovou tal decisão da direção da CPAD?
3 - Os pastores presidente das Assembleias de Deus no Brasil, cujas igrejas sustentam literalmente a CPAD comprando lições bíblicas foram ouvidos sobre a questão?
4 - A Assembleia Convencional não tem voz e voto sobre a questão?
Parece que o remendo da "celeuma" causada pela própria direção da editora, e transferida para aqueles que se posicionaram em nome da coerência ficou pior que o buraco.
Não temos também nada contra a pessoa do Rev. Augustus Nicodemus Lopes, mas sua teologia calvinista é incompatível em vários aspectos com a teologia pentecostal clássica de matriz basicamente arminiana. A questão aqui é institucional. Infelizmente o mesmo ainda passou pelo constrangimento de ser somente avisado da suspensão do evento já no hotel, outro erro grave dos organizadores do evento. Lamentamos também por aqueles que foram ao evento e voltaram frustrados por sua não realização.
Os problemas da editora CPAD não acabaram com a suspensão do evento, pois a postura editorial da mesma a muito vem deixando a desejar em relação a sua original "vocação", que agora diz ter mudado, não se sabe como.
Apelo mais uma vez à Mesa Diretora da CGADB, ao Conselho Administrativo da Casa, e aos demais órgão competentes que intervenha com urgência, pois nossa saúde doutrinária, e toda a história construída por tão nobre instituição corre o risco de ser minada e desconstruída.
Temo que em termos das grandes decisões que envolve a "nossa casa" (até então considerada), o carro esteja andando na frente dos bois, ou seja, os que deveriam ser comandados estão assumindo o comando, e dando o rumo que bem lhes apraz.
Pr. Altair Germano, Itália, 19/07/2017

Para um entendimento amplo da questão: https://www.facebook.com/altair.germano


quarta-feira, 4 de maio de 2016

TEMPOS DE CRISE


Pastores adulteram, deixando suas esposas por outras mulheres, e tempos depois são recolocados nos púlpitos das igrejas como se nada tivesse acontecido. 
Profetas bajuladores pintam e bordam nos cultos.
Acordos com políticos bandidos são feitos descaradamente. 
As contas da igreja são maquiadas.
O culto da manipulação e do emocionalismo é promovido.
Quem pensa diferente é excluído ou punido.
A politicagem eclesiástica com a sua fome de poder é vergonhosamente praticada.
O povo está indo embora.
As contribuições financeiras diminuem.
O ministério é desacreditado.
A liderança é imposta.
Os valores bíblicos relativizados.
A liderança perdeu o foco, o entendimento e o temor a Deus.