quinta-feira, 23 de abril de 2015

A TENTAÇÃO DE JESUS - SUBSÍDIO PARA LIÇÃO BÍBLICA

Qual é a principal estratégia do diabo para levar as pessoas ao pecado? Tentá-las é a resposta. Só quando percebermos e conseguimos neutralizar as ações do Inimigo, das seduções do mundo e das inclinações da carne, através da observação de alguns princípios bíblicos, é que sairemos vitoriosos sobre as tentações.

O QUE É A TENTAÇÃO

Conforme o Dicionário Bíblico Wycliffe, os termos hebraicos massa e nasa, podem, às vezes, ter o significado de "induzir ao pecado". Mas seu principal e predominante significado é o de "testar o valor e o caráter de homens" e, às vezes, os de Deus (Hb 3.9).

"Tentação", do latin tentatione, pode significar indução ao erro. Segundo o Dicionário Vine (2003, p. 1014-1015), a palavra grega para “tentação” é peirasmós e ekpeirazõ. Esta palavra é usada com os seguintes significados:

- Provas com o propósito e efeito benéficos (Lc 22.28; At 20.19; Tg 1.32; I Pe 1.6; 4.12; 2 Pe 2.9);
- Com um significado bom ou neutro (Gl 4.14);
- Provas de caráter variado (Mt 6.13; Lc 11.4; I Co 10.13);
- Prova projetada definitivamente a conduzir à má ação, “tentação” (Lc 4.13; 8.13; I Tm 6.9);
- A “tentar” ou desafiar Deus, por homens (Hb 3.8).

CONCEITO TEOLÓGICO

"Tentação" pode ser definida como uma influência interna ou externa, de origem divina (quando se refere ao fato de Deus "provar" o homem, 1 Pe 4.12), diabólica (Mt 4.7) ou humana (Tg 1.14), que embora, em si, não seja pecado, pode conduzir ao mesmo (Tg 1.15).

OS CINCO ESTÁGIOS DA TENTAÇÃO  (Tg 1.14-15)

Os estágios ou processos da tentação podem ser classificados em cinco. São eles:

Inclinação. "Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça". Dá-se em virtude da natureza pecaminosa do homem;

Atração. "quando esta o atrai". A atração, percepção seguida da atenção é resultado natural da ação dinâmica dos nossos sentidos (tato, olfato, visão. audição e paladar);
Sedução. "e seduz". Sedução, conforme o Dicionário Michaelis, significa "1. Ato ou efeito de seduzir ou de ser seduzido. 2. Qualidade de sedutor. 3. Encanto, atração, fascínio." A sedução é uma ação envolvente, que de maneira sútil, embriaga, neutraliza a razão, podendo ser considerada um estágio avançado no processo da tentação;

Concepção. "Então, a cobiça, depois de haver concebido". A idéia aqui, é a do estabelecimento pleno do desejo de pecar, de transgredir, de realizar o desejo, independente das consequências. O pecado está a um passo;

Consumação. "dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado,". O pecado é o resultado da consumação de todo o processo pertinente a tentação. Este processo pode ser lento ou rápido, planejado minuciosamente ou entregue aos acontecimentos. A consequência imediata deste último estágio é a morte (Gn 2.17; Rm 6.23).

É POSSÍVEL RESISTIR A TENTAÇÃO

Segundo Champlin "A tentação, se não for dominada, destrói a fibra moral. Mas, uma vez que lhe oferecemos resistência, isso melhora a qualidade moral de nosso ser".

A Bíblia é clara quando afirma que as tentações podem ser resistidas, suportadas e vencidas:

"Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação;" (Tg 1.12)

"Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós." (Tg 4.7)

"Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar." (1 Co 10.13)

COMO VENCER A TENTAÇÃO

A observância de alguns princípios e orientações da Palavra de Deus nos conduzirá sempre para a vitória sobre a tentação. Dentre os tais, podemos citar:

Vigiar e Orar"vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca." (Mt 26.41; Mc 14.38);
Mortificar os feitos do corpo, através de uma vida guiada pelo Espírito."Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis. Pois todos os que são guiados pelo Espírito de  Deus são filhos de Deus.” (Rm 8.13-14);
Andar no Espírito"Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne". (Gl 5.16);
- Viver por fé"porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé." (1 Jo 5.4);
- Fazer a vontade de Deus"Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente." (1 Jo 2.17).

A tentação não faz acepção de pessoas. Ela se faz presente na vida de crianças, jovens, adultos e anciãos. Ela não respeita condição ou posição social, novos convertidos ou veteranos na fé. Congregados, membros, líderes e oficiais da igreja, também estão incluso. 

Crentes carnais ou espirituais, famosos ou anônimos, profanos ou santos, íntegros ou imorais, casados ou solteiros, verdadeiros ou hipócritas, obedientes ou insubmissos, também não escapam.

Todos os dias, milhares de cristãos caem em tentação. Enquanto você lê esse texto, estou certo de que em sua vida, uma das etapas do processo da tentação está sendo vivenciada. Desperte, acorde, fuja, resista, lute, clame, rompa agora com a possibilidade do pecado.

É preciso lembrar, que tentação não envolve apenas questões "sexuais", antes, inclui qualquer questão moral e espiritual. Tentação envolve desobedecer a Deus, transgredir os seus mandamentos, negar através de ações o amor que declaramos a Ele.

A TENTAÇÃO DE JESUS: EGOÍSMO

E disse-lhe o diabo: Se tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão. E Jesus lhe respondeu, dizendo: Escrito está que nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra de Deus. (Lc 4.3-4)

Vivemos numa sociedade egoísta onde cada vez mais é enfatizada a necessidade de consumir o supérfluo, aparecer, de conquistar poder, fama e prestígio, de atrair para si os holofotes do mundo evangélico, de ser a “estrela”  ou atração do momento, de se tornar o principal “produto de consumo” no mercado gospel, onde a pregação e adoração fazem parte do show business gospel, onde o ministério tem se tornado uma atividade meramente profissional, onde pastores-executivos (e não servos) se gabam de suas posses, riquezas e grandeza posicional e ministerial. O culto à personalidade e a busca pela satisfação pessoal são prioridades.

Nos dias atuais, a multiplicação que acontece na vida de alguns líderes cristãos em benefício de si mesmos não é de pão, é de posses. O detalhe é que nunca ficam saciados, pois sempre estão em busca de mais coisas.

A TENTAÇÃO DE JESUS: PRESTÍGIO, PODER MINISTERIAL E SECULAR

E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe, num momento de tempo, todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero.   Portanto, se tu me adorares, tudo será teu. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Adorarás o Senhor, teu Deus, e só a ele servirás. (Lc 4.5-8)

A síndrome da sociedade do espetáculo atinge também pastores, que no afã de aumentar seu prestígio, e de dar demonstrações de seu poderio ministerial, investem milhões de reais na construção de templos suntuosos para a própria glória, deixando com isso de dar prioridade às coisas essenciais no Reino de Deus.

No âmbito da política eclesiástica disputam sem ética alguma, matam e morrem por cargos em Mesas Diretoras e demais posições de prestígio. Buscam o poder pelo poder. Estão interessados em meras demonstrações de força e influência. Famílias se tornam proprietárias de igrejas, campos eclesiásticos e ministérios regionais, se perpetuando no poder, comprando e vendendo gente para tal fim.

Temos ainda o fato de que para conquistar ou se manter no poder institucional (local, regional ou nacional), muitos líderes estão apresentando novos ministros, pois a quantidade dos apadrinhados é a garantia de grandes votações para cargos eletivos, ou para garantir, quando no caso, a indicação dos mesmos em mesas diretoras, conselhos e comissões. Nunca houve tantos ministros “enfeitando” tribunas e reuniões ministeriais e convencionais (quando aparecem) como dias atuais, sem mensagem, poder espiritual, credibilidade ou vocação. Um pregador ou pastor pentecostal é visto por muitos como um mero eleitor convencional.

Como sempre advirto, é preciso evitar em todos os casos o generalismo irresponsável, pois sabemos que ainda há pastores, pregadores, ensinadores e cantores sérios, que em tudo buscam a glória e a direção de Deus em seus ministérios.

Como se não bastasse o poder eclesial, os famosos e poderosos da fé partem em busca do poder temporal, relativizando valores morais e espirituais para obterem poder político secular. O pior, é que boa parte destes fazem isso pelos mesmos motivos egoístas e ambiciosos que os leva e os mantém no poder eclesial.

A TENTAÇÃO DE JESUS: VISIBILIDADE E FAMA



Levou-o também a Jerusalém, e pô-lo sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo, porque está escrito: Mandará aos seus anjos, acerca de ti, que te guardem e que te sustenham nas mãos, para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: Não tentarás ao Senhor, teu Deus. (Lc 4.9-12)

FAMA: PERSPECTIVA BÍBLICA E SECULAR

E percorria Jesus toda a Galileia, ensinando nas suas sinagogas, e pregando o evangelho do Reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. E a sua fama correu por toda a Síria; e traziam-lhe todos os que padeciam acometidos de várias enfermidades e tormentos, os endemoninhados, os lunáticos e os paralíticos, e ele os curava. (Mt 4.23-24)

E logo correu a sua fama por toda a província da Galileia. (Mc 1.28)

E a sua fama divulgava-se por todos os lugares, em redor daquela comarca (Lc 4.37)

Porém a sua fama se propagava ainda mais, e ajuntava-se muita gente para o ouvir e para ser por ele curada das suas enfermidades. (Lc 5.15)

As palavras gregas traduzidas por “fama” nos versículos acima são akoe, que significa literalmente “ouvir um relato acerca de fatos acontecidos ou dos feitos de alguém”, e logos, que pode significar “as notícias acerca das realizações de alguém”. Em ambos os casos pode-se utilizar o termo “fama” como tradução, assumindo este um sentido positivo. É assim que podemos entender a fama de Jesus.

Há outros casos onde a ideia de fama num sentido positivo está implícita:

Ora, o SENHOR, disse a Abrão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu será uma bênção. (Gn 12.1-2)

Agora, pois, assim dirás a meu servo, a Davi: Assim diz o SENHOR, dos Exércitos: Eu te tirei do curral, de detrás das ovelhas, para que fosses chefe do meu povo Israel. E estive contigo por toda parte por onde foste, e de diante de ti exterminei todos os teus inimigos, e te fiz, um nome como o nome dos grandes que estão na terra. (1 Cr 17.7-8)

Em seu aspecto bíblico e positivo, a fama tem as seguintes características:

- Não é buscada por aquele que a adquire
- É resultado da ação direta e do plano de Deus na vida daqueles que Ele deseja tornar conhecidos
- Tem a sua razão de ser para a glória de Deus
Em sua perspectiva secular ou mundana, a fama é almejada, buscada e disputada pelo próprio indivíduo, e tem como fim último a sua glória pessoal.

O filósofo e escrito francês Guy Debord, em sua obra A Sociedade do Espetáculo, interpretou de maneira bastante interessante a busca desenfreada pela fama, pelo parecer e aparecer.

Em sua tese, a base da sociedade existente é o espetáculo, ou seja, o aparente, o irreal, o ilusório, uma relação social entre pessoas mediada por imagens. A vida organizada socialmente se fundamenta na simples aparência das coisas.

Na sociedade do espetáculo “o que aparece é bom, o que é bom aparece”. Dessa forma, todos querem aparecer, ser vistos, ser aceitos e aplaudidos.

Na sociedade do espetáculo o indivíduo não pode ficar “por baixo”, nos bastidores, pois precisa ser visto, aceito e aplaudido. Na sociedade do espetáculo, que já atingiu a igreja evangélica brasileira, é preciso aparentar ser o astro que não se é, ter o sucesso forjado através do pagamento de “ofertas-jabás”. Na sociedade do Espetáculo paga-se para aparecer.

A febre da fama atingiu pregadores e cantores evangélicos. Há no Brasil grandes congressos onde para se cantar e pregar é necessário dar uma “oferta missionária”. Pregadores e cantores pagam a “oferta-jabá”, pois acreditam que após gravarem o seu CD ou DVD no referido evento (ou eventos), vão “bombar”, e com isso terão a garantia de uma agenda bastante rentável.

Algumas empresas literárias e produtoras musicais “evangélicas” já se tornaram fábricas de ídolos, usando de estratégias de marketing para promover os seus contratados, e com isso multiplicar o seu capital, sem nenhuma visão de Reino.

CONCLUSÃO

Satanás intentou frustrar o ministério de Jesus pouco antes do seu início. Para isso ofereceu ao Senhor o mesmo que tem oferecido para os filhos de Deus nos dias atuais, numa tentativa semelhante de frustrar, comprometer e destruir ministérios.

Jesus venceu Satanás pela Palavra, permaneceu fiel aos propósitos do Pai, e com isso teve autoridade para exercer o seu ministério, sem ter do que ser acusado pelo próprio Satanás, nem por homem algum.

Observamos nos dias atuais o fracasso de homens e mulheres que foram levantados por Deus, no início, e até no final de seus ministérios, exatamente pela aceitação daquelas ofertas que Jesus recusou. Foram seduzidos e tragados pelo egoísmo, pela busca da fama e do poder temporal, da efêmera e passageira glória do aqui e agora.

Que o Senhor tenha misericórdia de nós!


segunda-feira, 20 de abril de 2015

MAIS DE 500 INSCRITOS NA 1ª EBO DA AD EM ANTONINA-PR



 Com os pastores Aparecido Pimenta (Presidente) e Lucier (Preletor)
Com o pastor Fábio Pimenta (Vice-Presidente e Preletor)

 

sexta-feira, 10 de abril de 2015

TEOLOGIA REFORMADA CALVINISTA É DIFUNDIDA ATRAVÉS DE PUBLICAÇÕES E ÓRGÃOS OFICIAIS DA CGADB (1)


A discussão sobre calvinismo e arminianismo faz parte da atual agenda pentecostal assembleiana, e isso acontece em razão da influência da teologia reformada no contexto pentecostal assembleiano brasileiro.

O grave, como já escrevemos, é que com a falta de um posicionamento teológico denominacional mais claro e específico, os próprios órgão oficiais das Assembleias de Deus no Brasil difundem e apresentam a teologia reformada com o endosso do Conselho de doutrina da CGADB (Convenção Geral Geral Geral das Assembleias de Deus no Brasil), causando no mínimo mais confusão nas mentes imaturas e indefinidas teologicamente, que acabam por ouvir um discurso oficial que não é coerente com as publicações oficiais.

O Dicionário Bíblico Wycliffe, publicado pela CPAD com sua 1ª Edição em 2006, é um clássico exemplo desta realidade. Em seu verbete sobre "eleição", "eleito" e "salvação" fica evidente sua linha teológica reformada. Observe algumas citações da obra:

"A eleição não é uma simples previsão, nem depende dela. Ela inclui a previsão de Deus quanto àquilo que o homem irá fazer com sua própria liberdade, mas depende, para sua realização da graça soberana de Deus. As Escrituras ensinam que Deus aceita o que o homem fará com sua própria liberdade, acrescentando  que Ele fará através de sua graça para salvá-lo" (p. 623)

"Da mesma maneira, quando Deus nos 'escolhe' na eternidade (Ef 1.4) está igualmente evidente que Ele não escolhe a todos" (p. 624)

"Esses que 'foram dados' são 'atraídos' a Cristo por uma compulsão divina (Jo 3.37, 44, 47). (p. 624)

"Aqueles que Cristo conheceu como suas ovelhas 'nunca perecerão' (Jo 10.14, 27ss). Aqueles que foram chamados eternamente nunca será separados 'do amor de Deus' (Rm 8.30, 33, 35-39). (p. 624)

Eleição incondicional, graça irresistível e perseverança dos santos são aspectos da soteriologia reformada, reafirmadas nas citações acima.

Citando o teólogo reformado e calvinista J. I. Packer, a salvação é ensinada no Dicionário Bíblico Wycliffe como algo que o homem recebe em absoluta passividade, ou seja, mais uma apologia a doutrina da graça irresistível, onde a liberdade de decisão humana é absolutamente neutralizada, e que não se alinha a doutrina arminiana da graça preveniente.

Fica aqui mais uma vez o alerta geral, e a crítica para um maior cuidado na análise e publicações de obras por parte dos órgão oficiais das Assembleias de Deus no Brasil.

No amor de Cristo,

Altair Germano.

segunda-feira, 30 de março de 2015

ESCOLA BÍBLICA NACIONAL DE OBREIROS DA CGADB (NORDESTE)


Preletores:

Pr. Abiezer Apolinário (BA)
Pr. Altair Germano (PE)
Pr. Antônio Dionísio (MS)
Pr. Antônio José (CE)
Pr. Daniel Nunes (PB)
Pr. José Antônio dos Santos (AL)
Pr. José Wellington Jr. (SP)
Pr. Josué Brandão (BA)
Pr. Perci Fontoura (PA)
Pr. Temóteo Ramos (RJ)

Local:

Templo Central da Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE (COMADALPE)

Realização:

CGADB
CPAD
UMADENE
COMADALPE


19ª ESCOLA BÍBLICA DE OBREIROS DA AD EM MARÍLIA-SP

 Pastor Elandi Mariano (ao microfone), Presidente da AD em Marília-SP, e pastores Roberto de Carvalho (Goiás) e Eliel Amaral (USA)

 Homenagem recebida da 19ª EBO da AD em Marília-SP

 Recebimento do título da Visitante Ilustre, outorgado pela Câmara Municipal de Marília

Participantes da da EBO

Entre os dias 25 e 27/03 estivemos ministrando na 19ª Escola Bíblica de Obreiros da AD em Marília-SP, igreja presidida pelo pastor Elandi Mariano, onde na ocasião participamos também do culto de ações de graça por seu aniversário.

Minhas aulas foram sobre Hermenêutica Bíblica e Crítica Textual com ênfase no Novo Testamento. Participaram também como preletores  os pastores Eliel Amaral (EUA) e Roberto de Carvalho (GO).

Que o Senhor continue abençoando todos os amados irmãos que fazem a AD em Marília-SP.